31 de out de 2007

Achei muito interessante o artigo

16/10/2007 - A Notícia (SC)
O supermercado é político
http://www.abrandh.org.br/index.php?arquivo=noticias&artigo=1511

Por Samantha Buglione
Jurista e professora / buglione@antigona.org.br

Falar que o “supermercado é político” é dizer que o mais privado dos atos, o de buscar alimento e garantir necessidades primárias, não se encerra na hora de pagar a conta. A escolha do produto até pode se dar por razões econômicas, busca de qualidade ou, ainda, ideologia. Contudo, ao escolher um produto também se escolhe, querendo ou não, uma forma de produção, um tipo de relação de trabalho, um determinado impacto ambiental. Em suma, comprar algo é trazer para casa, além do produto, a sua cadeia de fabricação e as conseqüências. Ignorar esses fatores é se proteger de duas conseqüências do conhecimento: liberdade e responsabilidade.

Dados de recentes pesquisas demonstraram que produtos orgânicos possuem mais nutrientes que os alimentos da produção linear. Ou seja, não é apenas uma questão de quantidade, mas de qualidade. Pode até ser que a agricultura orgânica não produza tanto quanto a linear, mas alimenta mais. O artigo “Comparação da qualidade nutricional de frutas, hortaliças e grãos orgânicos e convencionais”, publicado no “Jornal de Medicina Alternativa”, relata que produtos orgânicos, em média, contêm 29,3% mais magnésio, 27% mais vitamina C, 21% mais ferro, 26% mais cálcio, 11% mais cobre, 42% mais manganês, 9% mais potássio e 15% menos nitratos. Indo mais além, conforme relatório do “Environmental Group”, atualmente, ao completar um ano de vida uma criança já recebeu, por conta do consumo de alimentos convencionais, a dosagem máxima aceitável pela Organização Mundial de Saúde de oito pesticidas altamente carcinogênicos para uma vida inteira.

Além das questões nutricionais, alimentos orgânicos e de agricultura familiar contribuem para a empregabilidade no campo. O que evita o êxodo rural, e, por conseqüência, o aumento de favelas em centros urbanos.

Um outro dado importante é que quem produz alimento para o brasileiro não é a produção convencional ou linear ou o agronegócio, mas a agricultura familiar e orgânica. Mais da metade do feijão vem da produção familiar; no caso do arroz, mais de um terço; e, da mandioca, 90%. Essas são algumas informações que demonstram a importância do setor na economia brasileira, um setor responsável por uma média de 10% do produto interno bruto (PIB) nacional, conforme dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas.

E, mais, o que realmente alimenta é a produção de grãos, vegetais e hortaliças. A carne de suínos, aves e bovinos não é o alimento mais completo em nutrientes ou que vai estar na mesa de todos os brasileiros. O Brasil é campeão de exportações. E Santa Catarina orgulha-se dos seus números. No entanto, ao exportar a carne produzida por aqui também se exporta a água potável, os milhões de hectares utilizados para alimentar os animais, as florestas queimadas. A única coisa que fica são os resíduos. A Epagri de SC revela que as fezes dos 5,6 milhões de suínos que existem no Estado produzem 9,7 toneladas de dióxido de carbono por dia. Para 1 kg produzido de carne de suíno ou bovino é gerado o equivalente a 8 kg de excremento. Imagine levar tudo isso para casa ao comprar um inocente pacotinho de presunto para o sanduíche? Não levamos. Desde 2005, no Brasil, há mais bois e vacas que homens e mulheres, 200 milhões de bovinos ocupam um espaço três vezes maior do que toda a área cultivada no País e consomem quatro vezes mais água.

Se for uma questão de aumento da riqueza nacional e de estratégia para matar a fome dos brasileiros, a nossa matemática não está bem certa. Afinal, o agronegócio nem emprega tanta gente assim e os custos ambientais com a poluição de rios, solo, mananciais e emissão de metano são revertidos ou para o preço final do produto ou para o Estado, que terá mais gastos com saúde e políticas para despoluição. Aí, quem paga a conta somos todos nós, querendo ou não, sabendo ou não.

Foi-se o tempo em que comprar mandioquinha, feijão ou ovos era só comprar mandioquinha, feijão ou ovos. Quando se leva ovo para casa, o da produção convencional, se está chancelando, incentivando e financiando um processo que trata animais como coisa; que ignora que sentem dor e que possuem uma forma própria de viver a vida. Além de fazê-los viver de forma confinada e sendo alimentados com uma ração que contêm tantos aditivos que os transformam mais em uma pasta química do que em um ser vivo.

Nem o peitinho de frango se salva.

Ir ao supermercado é fazer política. É fazer escolhas. É dizer que tipo de produção de alimentos queremos e que tipo de empregos queremos financiar. O ato de escolher e comprar o que se vai consumir pode ser silencioso, mas é muito poderoso.


Link original:
http://www.an.com.br/2007/out/16/0opi.jsp

30 de out de 2007

Blog, orkut e afins

Domingo passei meia hora apagando alguns recado do orkut. Recados antigos e já sem sentido...
Fiquei pensando na internet e blogs.
Eu sou uma garota de sorte, conheci pessoas maravilhosas por aqui, existe uma relação de troca muito positiva com as pessoas com que me relaciono e ainda aprendo muito com as pessoas, seja no blog ou até no orkut.
Achei engraçado reler algumas mensagens bem antigas do orkut. Mensagens que tinham de um tudo.
Desde feliz natal, aniversário, boas vindas, solicitação da minha dissertação e outras informações e até gente querendo saber como está minha nova vida nas terras germânicas.
Eu não gosto muito do orkut como meio de comunicação pessoal, pois ele é muito impessoal, mas tem gente que gosta.
O que eu gosto nele é que encontro informações interessantes, pessoas que há muitos anos eu não tinha notícias e ainda tem a agenda de aniversário, o que é ótimo.
É claro que também sou invadida quase que diariamente por recados maldosos, mas deleto assim que vejo e nunca entro em sítes indicados pel@s amig@s.
Aqui no blog, também já recebi uns comentários mal criados, bem poucos.
Também já usaram meu nome e o endereço do blog para deixar recados sem nenhuma ética em blogs alheios. Achei pavoroso, avisei a pessoa afetada, não sei se acreditou,mas fiz a minha parte e não deixei de blogar.
Afinal as experiências boa são maiores e melhores que as ruins.
Então eu estendo minha rede, deito, me embalo, me divirto e ainda fico cheia de pavulagem.

29 de out de 2007

Pelo fim da fome e desnutrição infantil até 2015

28 de out de 2007

Ratatouille - o filme

Ontem eu e minhas amigas fomos ao cinema, assistir Ratatouille.
Aqui tem o síte sobre o filme

Nós registramos algumas cenas nossas a caminho do cinema e voltando para casa, com um a pausa para um cafezinho.


27 de out de 2007

Recebi por email este texto

PARA REFLEXÃO ...
Herbert Viana

Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão. O mundo pirou, enlouqueceu.
Hoje, Deus é a auto imagem.
Religião, é dieta.
Fé, só na estética.
Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal.
Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer, não.
Estria é caso de polícia.
Celulite é falta de educação.
Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?
A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não
Pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.
Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa.
Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo. Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.
Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada.
Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas...
Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados, aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser.
Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude.Que eu me acalme.
Que o amor sobreviva."*
" Cuide bem do seu amor, seja ele quem for "

26 de out de 2007

Comida - Titãs

Acho que essa música dos Titãs deveria ser o hino do Direito Humano à Alimentação, especialmente porque as pessoas famintas não querem só comida, elas querem comida, diversão e arte.
Para acabar com a fome é preciso muito mais que dar comida.

25 de out de 2007

16.10 - Dia Mundial da Alimentação

Dia Mundial da Alimentação Ouça e divulgue a matéria da Rádio Senado sobre o Dia Mundial da Alimentação, com dados e informações sobre o direito humano à alimentação adequada.
Dia Mundial da Alimentação
(Samara Sadeck - 04'24")
Confira o áudio

24 de out de 2007

Célia, muito mais que uma blogueira em Estocolmo

Eu conheço Célia desde quando entrei na blogosfera. Isso já tem mais de 3 anos.

Célia é irmã da Cris, primeira blogueira que conheci pessoalmente. Isto aconteceu em 2005 em Fortaleza. Aos poucos vou conhecendo a família inteira.

Há tempos que eu e Célia trocamos emails e conversas pelo MSN. Parecemos velhas amigas.
Lembro que assim que cheguei aqui em Heidelberg (acho que um ou dois dias depois), Célia me telefonou, foi a primeira pessoa a me telefonar para me desejar boas vindas, saber como estava, me confortar...
Achei muito amável da parte dela, especialmente porque a gente nem se conhecia pessoalmente.
Mas ela é assim mesmo...
Imagine, ela tirou dois dias de férias para nos acompanhar em Estocolmo, mostrar a cidade e fazer companhia, pode???

Quando chegamos em Estocolmo, pegamos um ônibus do aeroporto para a estação central e Célia estava lá nos esperando.
Deixamos as malas no Hotel e fomos passear pela cidade.Depois, Célia ainda nos convidou para jantar em sua casa.

Ao entrar lá, tive a sensação de já ter pisado naquele lugar, de já ter partilhado refeições, comemorações e até inquietações. Lembrei da vela acesa na cozinha que provocou um pequeno estrago.
Kurt, o marido, e Livia, a filha, são pessoas ótimas também.
Kurt
é engraçado e Livia é um doce. Ainda tem a Sacha, uma gatinha que o Flavio adorou, mas eu achei um pouco atrevidinha, como tod@s @s gat@s.

Durante esses dias que estivemos juntas conversamos muito. Sobre a blogosfera principalmente. E de como ficamos íntimas de pessoas que nem conhecemos e isso inclui a família inteira. E de como choramos e nos alegramos juntas com outras blogueiras.

Falamos também sobre nossa vida de imigrante em país europeu. A nova cultura, o aprendizado da língua, a distancia da família, das nossas raízes, nossos sonhos, e é claro, receitas também.

Esses dias foram ótimos.
Célia, querida foi muito bom conhece-la pessoalmente e obrigada por tudo.

23 de out de 2007

Sobre Estocolmo

Estocolmo é linda.
Do avião, vi as cores do outono. Lá é muito mais intensa que Heidelberg.
De cima, deu para ver o verde contrastando com o amarelo e o vermelho das folhas.
De baixo, o chão parece um tapete amarelo-alaranjado.

Estocolmo é a capital da Suécia. Tem mais de 1 milhão de habitantes e é cheia de ilhas, conferindo um charme a cidade.

Passamos 4 dias lá e foi pouco para fazer descrições sobre a cidade.
Os dias que ficamos lá, Flavio e eu, estavam bem bonitos, apesar do sol, estava frio também.

Foi inevitável comparar Estocolmo com Heidelberg.
Por ser uma cidade grande, o movimento de pessoas e carros nas ruas é grande.
As lojas são enormes e espaçosas, nada de cabides de roupas grudados um nos outros.

As pessoas são mais elegantes e simpáticas também.
Os jovens são iguais em qualquer lugar do mundo. Andam em bandos, dão risadas altas, adoram chamar a atenção e fazem questão de mostrar que são diferentes, com estilo próprio.

As porções de comida também são grandes, pelo menos por onde comi.

Achei o sistema de metrô meio complicado, mas também usamos pouco.
Passeamos muito a pé, o que é ótimo para conhecer melhor qualquer lugar.

Andei pelo centro comercial, cidade velha, Skansa (museu ao ar livre), Parlamento, Prefeitura e outros lugares turístico.

Depois conto mais, não quero um post muito grande e cansativo.

Mais fotos no post abaixo.

22 de out de 2007

Cenas em Estocolmo

Posted by PicasaAs fotos desapareceram :(
 qualquer hora eu atualizo.

Desperdício de alimentos

Este vídeo me deixou "a beira de um ataque de nervos".
A narrativa conta com Zeca Camargo, no estilo mais fantástico e global de ser (ugh!)

A reportagem começa com dois cantores famosos falando que passaram fome quando criança.
As fotos deles quando criança e adolescente são uma graça.

Agora, além de cantores famosos, eles têm uma rede de restaurantes e lanchonetes, e como empresários estão preocupados com o desperdício de alimentos.
Claro tem mais é que se preocupar, já pensou se perdem os gordos lucros com tanto desperdício de alimentos?

Durante a reportagem aparece os dados do ibge das pessoas famintas ainda existentes, enquanto as celebridades mostram as sobras de alimentos de um dos restaurantes.

O Prof. Eneas é um dos entrevistados. Falou bem e até gostei.
Depois mostraram um documento da legislação brasileira sobre a doação de alimentos. Acho que é da ANVISA.

Tudo mesclado com os depoimentos das celebridades. Eu fiquei com a boca cheia d'água quando vi o churrasco, o suco de laranja dos cantores e o peixe ao molho de camarão...nossa tudo de bom!!!

A Coordenadora do Mesa Brasil falou uma coisa inteligente "eu não posso doar uma coisa que eu não daria para meus filhos". Pensei: ulá lá, ela sabe o que é Direito Humano à Alimentação Adequada.

Aí, aparecem crianças lindas, cantando, comendo...a emoção foi forte. Mas olha a coincidência, as crianças são todas negras.

A reportagem fecha dizendo: "...C. e X. fazem o que podem enquanto a lei brasileira não muda e até dão sinal verde para os funcionários dos restaurantes comerem o que sobra".
Como eles são bonzinhos não? Dão o que sobra, e quando não sobra?

E para reforçar que não basta ser celebridade para doar sobras de alimentos, aparece um senhor dizendo mais ou menos assim: " os funcionários quando chegaram aqui eram magrinhos, mas a gente dá a liberdade para eles comerem no final do dia. Tem gente que já engordou até 10 kg, eu sou um deles"
Isso remeteu às leituras que fiz há tempos sobre alimentação na época da escravidão no Brasil. Putz, assim não tem nutricionista expatriada que aguente.

Eu encontrei este vídeo, por acaso pois estava procurando outro sobre hábitos alimentares por indicação da Luma.
Achei interessante colocar ele por aqui, desabafar e quem sabe até ler a opinião de vocês sobre o assunto.

21 de out de 2007

Estou de volta

Estocolmo foi a cidade escolhida para comemorarmos muitas coisas.
7 anos de amor.
Dia da alimentação.
A amizade entre blogueiras.

Enfim conheci a Célia do Esperança e Amor. Ela é irmã da primeira blogueira que eu conheci.
Eu já conheci quase a família inteira, e acho isso é incrível.

Apesar do friozinho, eu ainda não estou totalmente acostumada, a viagem foi maravilhosa.
Voltarei depois com fotos e alguns detalhes.
Bom domingo.

19 de out de 2007

Make food, not war

video

Desculpe, mas estou longe da blogosfera por enquanto.

Volto logo.

17 de out de 2007

O direito à alimentação é...


... um direito humano inerente a toda pessoa, mulher, homen, criança, independente de onde vivam no planeta.

... o acesso regular a uma quantidade suficiente de alimentos adequados do ponto de vista nutricional e culturalmente aceitáveis para o desenvolvimento de uma vida sadia e ativa

... poder alimentar-se de forma digna e autonoma



"Quando uma pessoa chega ao ponto de não ter nada para comer, é porque a ela foi negado tudo, é uma forma moderna de exílio" - Josué de Castro


16 de out de 2007

Dia Mundial da Alimentação

No dia 16 de outubro a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação celebra o Dia Mundial da Alimentação.
A cada ano é escolhido um tema. Este ano o tema é o Direito à Alimentação.
A escolha do tema Direito à Alimentação demonstra o crescente reconhecimento da comunidade internacional e a importante função que os direitos humanos desempenham na erradicação da fome e pobreza, assim como na aceleração e intensificação do processo de desenvolvimento sustentável.
Mais informações no síte do Dia Mundial da Alimentação aqui

15 de out de 2007

Dia Mundial da Alimentação - 16.10

Faz parte da campanha da FIAN para o Dia Mundial da Alimentação
Face It Act Now - for the Human Right to Food

Meinem Profil hinzufügen | Mehr Videos

14 de out de 2007

Hoje foi o Círio de Nazaré


Sete

são as cores do arco-íris
são os dias da semana
são os pecados capitais
são as maravilhas do mundo
são os anões da Branca de Neve
são as notas musicais
são as linhas de orixás da umbanda
são os algarismos romanos
são os estados brasileiros desafiados por Lampião

Ainda há muito mais sobre este número, mas para mim há sete anos que conheci meu marido, há sete anos foi o primeiro beijo, a primeira dança...há sete anos descobrimos que somos que nem feijão com arroz, juntos nos completamos nutricionalmente, muitas vezes precisamos nos temperar um pouco mais, acrescentar iguarias para vencer a rotina, catar as sujeiras sem empurrar para debaixo do tapete, e, sem alusões ao feijão com arroz, o mais importante entre a gente é o respeito, o diálogo, a liberdade, o companheirismo que mantem o nosso amor vivo.


A comemoração dos 7 foi regada a comida grega.

13 de out de 2007

Dia Mundial da Alimentação

Este mês estou mesclando textos pessoais e textos que incluem músicas, vídeos e o que vier de mídia.
Os textos abordam de alguma forma o direito humano à alimentação adequada.
O motivo desse mix é o Dia Mundial da Alimentação que será dia 16.10.
Como já falei anteriormente aqui, o tema deste ano é Direito à Alimentação.
Ainda vou tentar explicar melhor sobre isso.
Mas por enquanto gostaria que vocês escutassem as músicas, assistissem os vídeos e, se possível deixassem um comentário sobre o assunto, ok?
Bom final de semana para nós.

Vídeo produzido pela FIAN

video

12 de out de 2007

Dignidade - A música do Direito à Alimentação

Escute aqui


Dignity - The Right to Food Song

Have you heard about the right to food?
Come on, you're welcome to join our mood.
Have you heard about a FIAN action?
It is based on a network connection.
This right does include land and seeds
way to go fulfilling basic needs.
You can be a rights defender -
first of all we'll mainstream gender.
Chorus: Dignity has to be everyone's reality.

If you share FIAN's beautiful wish,
everyone will have fish on their dish.
None of us can any longer
tolerate the manmade hunger.
It's time to make it really clearly,
address the president - yours sincerely.
There's plenty of grain - use your brain!
Send a letter - that it all becomes better.
Chorus

Have you heard about the right to food?
Come on, you're welcome to join our mood.
Have you heard about a FIAN action?
It is based on a network connection.
If you share FIAN's beautiful wish,
everyone will have fish on their dish.
Dignity has to be everyone's reality.

Chorus (repeated)

11 de out de 2007

Amazônia, uma região de poucos

O que muitas pessoas desconhecem, mas nós não podemos nos calar.
É muito triste, mas é real, não é filme holidiano ou novela global.

É longo, ma tente assistir até o fim.

10 de out de 2007

A panelinha

Ontem teve encontro da panelinha. Um pequeno grupo de brasileiras, algumas blogueiras, outras não, que moram na Alemanha com exceção da Cissinha que mora na França, e que não estava no encontro, pois está em Belém.
De muitas coisas boas e deliciosas, como bate papo, comida, cuidados de beleza, sorriso e biquinho de neném, algumas dicas foram preciosas.
Como por exemplo:
- Se preocupar menos com a gramática alemã e tentar soltar mais a língua, conversar, perder a inibição.
- Procurar um estágio voluntário
- Shampoo Sulfrin e manteiga de carité para hidratar o corpo.
- Carona paga, sítes com horários de trens, etc.
- E como passar dias felizes com o amado em Paris e Portugal, e voltar tão poderosa quanto a Galeria Lafayette e sentir-se até mais gostosa que a gastronomia portuguesa.E a minha lista de blogueiras que saíram do mundo virtual para o mundo real aumentou, de 13, agora são 14. Finalmente conheci a moça de quem sentia inveja a Marcinha.
Infelizmente estava sem a máquina para o devido registro fotográfico.

8 de out de 2007

Inveja, pavulagem, direito humano à alimentação

São muitos temas, mas em um post só, e curtinho para não cansar os olhos.
Eu sempre tinha inveja dela quando via seus textos deliciosos sobre comidas brasileiras que ela faz em sua casa, aqui na Alemanha.
Além de tudo, ela é descolada. Ela sabe onde encontrar os temperos, os ingrendientes para preparar uma comida que faz bem para a alma.
As fotos que ela põe são de dar a boca, o meu teclado fica molhado de tanto que eu babo, pois a boca fica cheia d'água.
Ela, é a Marcinha, que pacientemente, já me deu muitas dicas antes de vim pra cá, e tenho aprendido muito com ela. .
Ontem eu fiquei cheia de pavulagem, digo uma pavulagem com sabor de feijoada e caipirinha.
O maridon não gostou porque fiz arroz com cenoura, mas era para deixar mais saudável.
E como estamos no mês do dia da alimentação, cujo tema é o direito à alimentação, eu quero deixar registrado que meu direito à alimentação adequada também se realiza quando eu como um alimento ou uma refeição da minha terra.


7 de out de 2007

Poesia com sabor bem brasileiro

Feijoada à Minha Moda

Vinicius de Moraes

Amiga Helena Sangirardi
Conforme um dia prometi
Onde, confesso que esqueci
E embora — perdoe — tão tarde

(Melhor do que nunca!) este poeta
Segundo manda a boa ética
Envia-lhe a receita (poética)
De sua feijoada completa.

Em atenção ao adiantado
Da hora em que abrimos o olho
O feijão deve, já catado
Nos esperar, feliz, de molho

E a cozinheira, por respeito
À nossa mestria na arte
Já deve ter tacado peito
E preparado e posto à parte

Os elementos componentes
De um saboroso refogado
Tais: cebolas, tomates, dentes
De alho — e o que mais for azado

Tudo picado desde cedo
De feição a sempre evitar
Qualquer contato mais... vulgar
Às nossas nobres mãos de aedo.

Enquanto nós, a dar uns toques
No que não nos seja a contento
Vigiaremos o cozimento
Tomando o nosso uísque on the rocks

Uma vez cozido o feijão
(Umas quatro horas, fogo médio)
Nós, bocejando o nosso tédio
Nos chegaremos ao fogão

E em elegante curvatura:
Um pé adiante e o braço às costas
Provaremos a rica negrura
Por onde devem boiar postas

De carne-seca suculenta
Gordos paios, nédio toucinho
(Nunca orelhas de bacorinho
Que a tornam em excesso opulenta!)

E — atenção! — segredo modesto
Mas meu, no tocante à feijoada:
Uma língua fresca pelada
Posta a cozer com todo o resto.

Feito o quê, retire-se o caroço
Bastante, que bem amassado
Junta-se ao belo refogado
De modo a ter-se um molho grosso

Que vai de volta ao caldeirão
No qual o poeta, em bom agouro
Deve esparzir folhas de louro
Com um gesto clássico e pagão.

Inútil dizer que, entrementes
Em chama à parte desta liça
Devem fritar, todas contentes
Lindas rodelas de lingüiça

Enquanto ao lado, em fogo brando
Dismilingüindo-se de gozo
Deve também se estar fritando
O torresminho delicioso

Em cuja gordura, de resto
(Melhor gordura nunca houve!)
Deve depois frigir a couve
Picada, em fogo alegre e presto.

Uma farofa? — tem seus dias...
Porém que seja na manteiga!
A laranja gelada, em fatias
(Seleta ou da Bahia) — e chega

Só na última cozedura
Para levar à mesa, deixa-se
Cair um pouco da gordura
Da lingüiça na iguaria — e mexa-se.

Que prazer mais um corpo pede
Após comido um tal feijão?
— Evidentemente uma rede
E um gato para passar a mão...

Dever cumprido. Nunca é vã
A palavra de um poeta...— jamais!
Abraça-a, em Brillat-Savarin
O seu Vinicius de Moraes


Texto extraído do livro "Para viver um grande amor", Livraria José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1984, pág. 97.

6 de out de 2007

O Amapá no Globo Repórter


A minha irmã me falou sobre o tema do Globo Repórter de sexta-feira.
O Amapá apareceu.
Quem quiser ver o um pedacinho é só ir nesse link aqui
Aqui é sobre a árvore que dá leite.
Vale a pena ver todos os vídeos.
Muito lindo!!!

Sobre minha casa

O prédio onde moro é pequeno, poucos moradores, são 4 apartamentos, tudo bem calmo e familiar.
O nosso apartamento é pequeno, mas no tamanho certo para três pessoas.

A primeira vez que vim conhecer o apartamento gostei de cara. A vista para a montanha me encantou, além da cozinha ser toda equipada.

Foram duas semanas de negociação. A princípio o dono não queria alugar pra gente por causa do meu enteado. Estava com receio de que ele fosse muito barulhento e ainda achava o ap pequeno para 3 pessoas.
Finalmente ele decidiu alugar e coincidentemente nossa mudança tinha chegado e ia ficar em um depósito. Ficou só um dia. Mudamos para o apartamento junto com a mudança.

Nossa mudança foi paga pelo trabalho do meu marido, por isso trouxemos o que podemos.
Metade das coisas foram doadas e vendidas.
Na hora de desmontar o apartamento fui muito prática, comecei a oferecer as coisas para venda e escolher o que seria bom ficarmos.

Flavio não abria mão da mesa de centro e da cristaleira, pois a mãe dele tinha feito o desenho e ele quer guardar até morrer.

Nosso apartamento era bem grande, três quartos, duas salas, escritório, cozinha e dependência de empregada. Então a gente tinha muita coisa e tudo muito grande.
A mesa de jantar eu cortei ao meio e vendi (era de 8 lugares). O sofá de três lugares, mesa de escritório e panelões, eu doei.
Foi a coisa mais certa que fiz. Esse apartamento é menor e não iria caber tudo.
Nós ainda temos no porão dois racker e uma máquina de lavar roupa imensa que não temos onde colocar.

Aqui só compramos as estantes, uma cômoda, uma mesa para computador e dois guarda-roupas. A cozinha já estava montada, se não teríamos que comprar pelo menos fogão e geladeira.

A maioria dos enfeites foram presentes e lembranças de nossas andanças pelo Brasil e pelo mundo.
Eu não pensei em trazer tudo para lembrar o Brasil, foi mais o lado prático, econômico e afetivo com as coisas materiais.
Arrumar tudo deu muito trabalho e muito choro, mas depois ficou tudo bonitinho, nos sentimos mais em casa e eu gostei do resultado.

Hoje, digo que chegou a hora de fazermos um exercício de desapego das coisas, pois se hoje estamos aqui, em Heidelberg, amanhã já não sei, então o melhor é não se apegar a bens materiais, por mais lembranças lindas que eles nos trazem.

5 de out de 2007

Começa a Semana da Alimentação no Brasil

A IV Feira Nacional de Agricultura Familiar e Reforma Agrária será palco do lançamento da Semana Mundial da Alimentação 2007, nesta sexta-feira (5), às 15 horas, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade (ExpoBrasília). Com o tema "O Direito à Alimentação", a semana ocorrerá de 15 a 19 de outubro.

O Brasil é considerado, por organismos internacionais e por outros países, referência no combate à fome e à pobreza. Uma das razões deste reconhecimento é o fato de o País ter reduzido pela metade a proporção da população que vive em extrema pobreza, oito anos antes do prazo estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como parte dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Em 1990, 8,8% dos brasileiros viviam na pobreza extrema. Já em 2005, esse percentual caiu para 4,2%, o que representa um resultado superior ao estabelecido pela ONU e que deveria ser cumprido até 2015. As ações de combate à fome e à desnutrição também já têm dado resultado, como a redução do déficit de peso das crianças. A disponibilidade total de alimentos também aumentou, atingindo um patamar de cerca de 3 mil quilocalorias (kcal) por pessoa/dia. Isso representa 24% a mais que o estabelecido pela FAO.

Mesmo com tantos avanços, o governo brasileiro reconhece que ainda há muito por fazer. Apesar de ter atingido a meta de redução da extrema pobreza, cerca de 7,5 milhões ainda têm renda domiciliar per capita inferior a 1 dólar PPC (Paridade do Poder de Compra) por dia.

Em relação à questão alimentar, a garantia da oferta de alimentos coloca um novo desafio: garantir que os brasileiros façam escolhas saudáveis. O que se tem registrado, nos últimos anos, é um aumento da obesidade, muitas vezes acompanhada de desnutrição aguda ou crônica, e de outros problemas associados à má alimentação, como diabetes e hipertensão.

Por esta razão, governo e sociedade dão especial atenção ao Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro), ampliando a data para a Semana. É um momento de voltar à atenção para a fome e a insegurança alimentar que afetam cerca de 800 milhões de pessoas em todo o mundo e também para os novos desafios.

Aqui no síte do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional tem mais informações.

4 de out de 2007

Fofoca de tv - rapidinho


Angélica tá bonita!!!
Nunca fui fã dela, mas vendo as fotos dela, acho que ela tá muito bonita.
Achei aqui nesse link mais fotos, mas não consegui copiar.


Quanto a roupa que ela está usando, concordo com Marcia, não é das melhores.






-------------------------------------------------
Fui mexer na configuração do blog e perdi todos os links...
:( :0 :[
Na medida do tempo vou inserindo os links.

3 de out de 2007

Feriado aqui

Tag der Deutschen Einheit – “ Dia da reunificação da Alemanha”

3 Outubro é deste 1990 o dia nacional da reunificação da Alemanha. A Alemanha de leste e a Alemanha reunificaram-se. A 17 de Junho era o dia nacional da RFA, e a RDA tinha o seu feriado a 7 de Outubro e chamaram-no de dia da República.

A Reunificação

Depois da mudança, queriam usar o 9 de Novembro como Feriado nacional porque foi a data da queda do muro de Berlim. Mas neste data havia a lembrança de um acontecimento NAZI (reichsprogrammnacht), por isso decidiram adoptar o dia 3 de Outubro porque foi nesse dia que se reuniram e decidiram a reunificação.

Como é celebrado

A celebração oficial é festejada numa cidade diferente, e começou na cidade mais populosa e todos os anos muda para uma cidade menos populosa.
Nos últimos anos a maior celebração é nas portas de Brandenburgo, onde há concertos. Comparado com a Holanda, a Alemanha não comemora tento o seu dia nacional.

Peguei essa informação no google.

Micos

Eu tenho me esforçado muito para não deixar minha espontanedade aflorar tanto, me controlo, mas as vezes escapa sem querer.
Aí a espontaneadade vira mico. Os mais recentes foram:

Festinha na escola -
após o término eu e minha colega polonesa resolvemos caminhar até a praça no centro, o que dá uns 10 minutos a pé.
Fomos conversando sobre a escola, os colegas, a professora, etc.
Quando chegou na bifurcação, onde os ônibus passam. A gente se despediu, e cada uma foi para um lado diferente.
Depois que atravessei a rua e estava quase no meio da praça, olhei pra ela do outro lado da rua e gritei: "Ana, tua comida estava deliciosa!!!"
Ela deu um sorrisinho amarelo, meio sem graça. E quando eu olhei em volta tava todo mundo me olhando.

No trabalho do meu marido - fui resolver umas coisas pessoais e passei no trabalho do meu marido para dá um beijinho.
Estava tendo uma festinha de despedida. Logo me convidaram, o que aceitei de imediato. Aproveitei e comecei a bater fotos durante o discurso.
De repente a alça do meu sutien saiu. Fiquei quieta esperando as falas terminarem.
Quando começou os comes e bebes, após as falas, fui caminhando pelo corredor para ir ao banheiro. De repente senti que tinha alguém atrás de mim e vi que era uma moça da Índia.
A gente já tinha conversado e ela é um doce de pessoa.
Aí perguntei se ela ia ao banheiro, ela disse que ia, mas que eu podia entrar primeiro.
Aí eu falei: vamos, eu não vou usar o toilete.
Ela: não vá você primeiro.
Eu: vamos, você usa o toilete e eu não, pois só vou ajeitar uma coisa. E mostrei a alça.
Ela muito sem graça entrou junto comigo.
Aí eu comecei a pensar com meus botões: "por que ela ficou sem graça? que estranho"
Tentei concertar a emenda e falei: no Brasil é comum as mulheres irem juntas ao banheiro.
Ela nem me respondeu.
Depois morri de vergonha.

2 de out de 2007

16/10 - Dia Mundial da Alimentação

O tema deste ano é direito à alimentação.
Um tema muito bom para explorar, explicar, denunciar e divulgar muitas coisas.
Quando estava no Brasil sempre participava de eventos neste dia.
Ainda quero falar mais sobre este dia e o tema deste ano.
Algumas fotos da campanha deste ano aqui
Escute a mensagem linda que a FAO fez aí no lado direito
É preciso colocar para tocar.

1 de out de 2007

"Passe em casa, tô te esperando"

Minha primeira amiga aqui na Alemanha foi a Carla, uma gaúcha muito simpática e querida.

Ela disse que quando entrou na nossa casa, sentiu-se no Brasil. Disse que nossa casa é tipicamente brasileira. Ela já tem alguns anos de inverno por aqui.

Então agora, te convido para passear pelo nosso barraco no reino da Batatolândia, na terra do chucrute, da salsicha e da cerveja.

Aproveita que eu não cobro entrada...



As fotos desapareceream, qualquer hora dessas eu atualizo.