31 de out de 2010

O Mundo

O Mundo - Lenine - Paulinho Moska, Chico César, & Zeca Baleiro

24 de out de 2010

A vidinha por aqui

Apesar do frio, e de muita coisa para fazer, a vidinha aqui tá boa.
Tô super ocupada. Voltei a estudar e agora não tenho tempo para mais nada ou entãoeu não estou sabendo administrar minhas coisas.
Estou sem tempo para visitar, comentar e postar na blogosfera.
Por isso acho que vou dar uma sumidinha básica.
Talvez eu apareça no twitter, pois tem sido a forma mais rápida de interação, e tô gostando disso.
Eu posso até postar vez ou outra, mas eu não quero me comprometer por aqui.

Mudando de assunto... Eleições 2010 e passeios
Faltam 7 dias para eleição do segundo turno.
Enquanto muita gente anulou ou votou em branco, ou não exerceu o direito de votar por qualquer motivo, Flavio e eu pagamos para votar. Sim pagamos.
É que a nossa zona eleitoral fica em Frankfurt, e nós queríamos votar, por isso decidimos juntar a fome com a votade de comer, fomos para a cidade grande votar.
Gostei muito de Frankfurt. Tem ar de cidade grande. Prédios novos, altos, espelhados, mas com muito verde também.
Aqui compartilho algumas fotos

21 de out de 2010

Alguém vai se preparar para o exame do TOEFL?

Eu tenho alguns livros preparatórios para a prova do TOEFL e gostaria de vendê-los.
Os livros são usados, mas eles estão bem conservados.
Infelizmente, por algum problema técnico no meu blog, não tô conseguindo adicionar figuras. Então por enquanto vou colocar os nomes dos livros:



-          TOEFL Test Strategies with Practice Tests and 5 Audio Compact Discs
-          Longman Preparation Course for the TOEFL Tests IBT – 2º Edition

-          The Official Guide to the TOEFL iBT with CD-ROM, 3º Edition

-          Speaking and Writing Strategies for the TOEFL iBT with one audio CD

 

E se alguém tiver interesse em melhorar o inglês, tenho esses dois livros de inglês, mas com explicações em alemão.
-          A New Start – English Refresh B1 – Cornelsen with CD
-          Grundwortschatz English nach Themen Übungsbuch – A1-B1

Se alguém tiver interesse, podemos negociar, posso vender ou trocar por outros livros.

15 de out de 2010

16 de outubro - Dia Mundial da Alimentação

Desde 2004, quando comecei a blogar, eu escrevo sobre o dia mundial da alimentação, com exceção de 2006, por alguma razão eu não postei nada.

Este ano, o tema é: "Unidos contra a fome"
Eu estou super ocupada e sem tempo para postar alguma coisa sobre isso, mas eu não queria que essa data passasse em branco.

Aqui neste síte tem informações em espanhol sobre o tema deste ano. Vale à pena ler.
http://www.fao.org/getinvolved/worldfoodday/es/

Tem também uma petição online pelo fim da fome no mundo por meio deste síte


E o Brasil, o que está fazendo para diminuir a fome?
Alguns dados:
- 27 milhões e 300 mil pessoas saíram da extrema pobreza
- 20.4 milhões de pessoas saíram da pobreza
- A desnutrição em 1974 era de 37%, em 2007 estava 7%
 Fonte: http://bit.ly/acMqYC - A população aumentou o cosumo de frutas e hortaliças, segundo Ministério da Saúde.

Você sabe se houve alguma comemoração na cidade onde você mora?

14 de out de 2010

Veja esse vídeo e depois assine a petição pelo fim da fome

10 de out de 2010

Julgar, discriminar e jejuar?

Há tempos que ando pensando sobre o nosso julgamento sobre comida e muitas por discrimnação não comemos ou jejuamos.
É nesse contexto que quero refletir aqui sobre a diversidade alimentar x preconceito alimentar.
Sobre diversidade alimentar, me refiro sobre a forma de comer. O que se come e como se come em diferentes culturas e povos.
Compartilhando minhas reflexões a partir da prática e começo por um fato recente.

No fim de semana passado, por conta das eleições no Brasil, Flavio e eu passamos o final de semana na cidade grande.
Juntamos a fome com a vontade comer, ou seja, cumprimos nossa agradável obrigação de votar e ainda aproveitamos para passear e conhecer um pouco de Frankfurt.

Lá, fomos em um restaurante Etíope. Pedimos um prato que combinava pequenas porções de diferentes pratos típicos. Diferentes carnes, diferentes preparos e diferentes saladas. Tudo delicioso.
Flavio tomou uma cerveja nigeriana, que para nossa surpresa, foi servida na cuia. E eu tomei uma taça de vinho de mel.
Esse prato que pedimos era acompanhado de panquecas. A forma como se come, é que é diferente de como nós, brasileir@s e/ou de outras culturas comemos.

Esse prato deve ser comido com as mãos. Vou tentar explicar.
Pega-se uma panqueca, rasga-se um pedaço e com este pedaço pega-se um pouquinho de alguma das porções, como se fosse o recheio.
Um pequeno grupo que estava na mesa ao lado, pediu o mesmo prato, mas comeram com garfo e faca. Talvez porque no julgamento deles, não era adequado comer com as mãos.
Vale ressaltar que nós lavamos as mãos antes de nos deleitarmos no que para nós, era "exótico".

Outro episódio que me chamou atenção sobre essa temática (diversidade alimentar x preconceitos), aconteceu em uma das minhas viagens de trem.

Eu peguei um trem em Stuttgart voltando para Heidelberg. O trem estava lotado, além de ser uma sexta-feira, as pessoas ainda estavam em ritmo de férias de verão, e o destino final do trem era Berlim.
Sentei ao lado de uma mulher, aparentemente entre 35 a 45 anos. Desconfio que era alemã. Nós trocamos pouquíssmima palavras em alemão, e como aqui tem muito estrangeir@s, não dá para saber se era nativa.
No meio da viagem, esta mulher abre um mochila e tira duas marmitinhas. Ela abriu uma que tinha um sanduiche. Quando terminou, abriu outra marmita, que parecia conter uma sobremesa. Eu estava lendo uma revista, mas percebi tudo pelo rabo do olho.
De repente, entrei em estado de choque. A mulher, sem nenhum pudor, começou a lamber a tampa do pote, e bem antes de comer a sobremesa.
No meu julgamento, eu achei isso nojento e a mulher mal educada. Mas será que isso não é parte da cultura dela?

E por fim quero relatar outro caso que aconteceu comigo. Quando fui para o Vietnam, em 2008, quase jejuei. Passei os três primeiros dias, só comendo frutas, verduras, arroz ou macarrão. É que eu descobri que cachorro era um prato bem típico e eu fiquei com medo de comer carne, pois temia ser de ser cachorro.
Reconheço que foi puro preconceito meu, já que, nem sou vegetariana e tão pouco gosto de cachorro. Além disso, cachorro, assim como vaca, galinha, porco, e etc, deve ter alto teor de proteína, então pode até ser bom nutricionalmente, mas mesmo assim dispensei.

Na tentativa de liberar meus preconceitos alimentares, tomei milk shake de feijão preto com tapioca. E gostei!

Reflexão:
É assim mesmo, nós seres humanos, digo eu, por mais que tentamos ter a mente aberta e livre de preconceitos, muitas vezes julgamos e discriminamos certas comidas e /ou comportamentos que fogem ao nosso padrão. Só não podemos deixar que esse comportamento nos prive do contato social com diferentes culturas ou julga-las inferior.
Ninguém é obrigado a comer algo que não lhe apetece, mas devemos aprender a conviver com o que é diferente ou fora do "nosso" padrão, porque para a outra pessoa, nós é que somos diferentes.

5 de out de 2010

Me divertindo

O mês de setembro foi bastante agitado por aqui.
Resumindo a parte divertida foi assim:
No Museu da Mercedes em Stuttgart: brinquei de play station e sentei em carro (imitação) de fórmula 1.
Visitei uma fábrica de champagne em Esslingen, brindei amig@s, e saí com quatro garrafas de champagne para tomar com o maridón.
Aprendi a fazer brezel (pretzel) no centro de tecnologia de alimentos na universidade de Hohenheim em Stuttgart.
Adorei tudo!!!