22 de jan de 2015

A cadeira vazia

Ano passado quando fui fazer minha última sessão de quimioterapia, senti um vazio lá. Havia mais lugares disponíveis, geralmente a clínica está lotada.
Fiquei pensando com meus botões, onde estavam as pessoas, será que teriam tido alta? Será que não puderam comparecer naquele dia por alguma razão? Ou já teriam partido deste mundo?
Sabe lá....

10 de jan de 2015

Educação Nutricional no Hospital

Tirando do baú, encontrei essas fotos do tempo em que trabalhei no Hospital da Criança e do Adolescente em Macapá.
Acho que foi em 1998, nesta época o hospital era pequeno, talvez tivesse em torno de 70 leitos, não lembro ao certo.

O Hospital fornecia 6 refeições por dia, e como era terceirizado, uma nutricionista fazia a supervisão do preparo das refeições. Nós éramos duas nutricionistas e fazíamos o acompanhamento nutricional de pacientes internados nos hospital.

Nesta época, havia uma equipe multi e interdisciplinar muito boa. Com apoio da psicologia, terapia ocupacional, enfermagem, fisioterapia e as medicas(os), conseguíamos fazer algumas atividades de educação nutricional.

Uma das atividades foi conversar sobre alimentação saudável usando grupos de alimentos, alimentos de verdade.


A conversa era interativa, crianças, adolescentes e acompanhantes participavam do delicioso bate papo.


Eu gostava muito desse trabalho, lembro de ter feito conversas sobre amamentação, a alimentação servida no hospital, como deveria ser refeitório para acompanhantes, entre outras.

Foi uma atividade muito enriquecedora também, aprendia com pacientes e acompanhantes a falar a língua delas e assim repassar meus conhecimentos de uma forma simples e lúdica e assim contribuir para escolhas alimentares saudáveis.

8 de jan de 2015

Vibrações Positivas para 2015

Eu li em uma revista ano passado e resolvi transformar as dicas para viver melhor em vibrações positivas para 2015, mas na verdade serve para a vida toda.

1- Pare de se comparar com os outros. É melhor pensar e procurar caminhos que possam melhorar a vida invés de ficar se comparando com outras pessoas.

2- Ajudar o próximo/próxima. Pode ser um animal também.

3- Faça um curso de arte, língua estrangeira, artesanato ou de culinária. Ocupe a sua mente com algo que te faz bem.

4- Cante, dance, isso faz bem para o corpo e alma.

5- Foque no momento presente. O que passou, passou e não volta. O futuro não existe.

6- Planeje alguma coisa e tente realizar. Pode ser uma viagem, um curso, uma refeição especial com alguém especial.

7- Pare de reclamar. Especialmente para outras pessoas, afinal a responsabilidade pela sua maneira de viver e suas escolhas é sua e não das outras pessoas. 

Alguma outra dica?

10 de dez de 2014

Mimos natalinos

Que bom que mesmo em tempo de internet e comunicação rápida, ainda existem pessoas que mandam cartão de natal via correio. Esta semana recebemos dois, um da Suécia e outro de Portugal.

Esse da Suécia veio com anjos e bombons de chocolates.

E o de Portugal veio no capricho com desenhos feito por uma linda portuguesinha que eu amo como uma sobrinha.

E da farmácia onde sempre compramos remédios, ganhei esse porta vela de papel. Que por sinal acendi uma vela e fiquei espiando para ver se o papel ia pegar fogo.

2 de dez de 2014

Dezembro, então é natal

Chegou dezembro, chegou natal.
As ruas já estão mais iluminadas, com luzes e desenhos natalinos.

O mercado de natal, aqui em Heidelberg, é o passeio inevitável, seja para tomar um vinho quente, comer, comprar um artesanato ou apenas passear.

Aqui em casa, a decoração é tímida. Acho lindo e admiro quem gosta de arrumar a casa para o natal, mas eu morro de preguiça.

Hoje decidi tirar os panos e porta-vela do armário. 
Tudo é pequenino, a árvore, o presépio, as velas... Gosto assim.
Agora está faltando as velas do advento. Cismei que quero ter na minha decoração essas velas. 
Assim que melhorar da gripe, vou comprar. Espero que ainda tenha para vender, pois o primeiro domingo do advento já passou.
 

16 de nov de 2014

Dia nacional da pessoa ostomizada

Eu precisava escrever mais sobre ostomias, mas ando sem tempo.
Mas já escrevi alguns post, querendo ler é só clicar em cima:
A colostomia e as roupas
Colostomia, um novo caminho
Eu tenho uma colostomia

31 de out de 2014

Cecília Meireles na Quimiolândia hoje!

Motivo - Cecília Meireles

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.