29 de jun de 2007

Aceita um pedaço?


Hoje é dia de São Pedro, por aqui continua chovendo.
Fiz esse bolo de macaxeira para matar a vontade e a saudade.
Ontem tive um exercício no curso de alemão bem interessante e gostoso.
A gente tinha que escrever uma receita do nosso país. E a colega do lado lia a receita.
A receita que escrevi foi essa do Bolo de Macaxeira. Mas antes do meu colega ler a receita, eu pedi um minuto para explicar porquê tinha escolhido o Bolo de Macaxeira. Falei sobre a festa junina, muito tradicional no Brasil e que hoje seria o dia de São Pedro e no Brasil com certeza ia ter bolo e outras guloseimas e danças.
Tudo bem básico com alguns errinhos na fala e a professora concertando é claro.
E a receita foi um sucesso.

28 de jun de 2007

Amanhã é dia de São Pedro


E por essas paragens não pára de chover.

Essa época dá uma saudade...
Uma vontade de tomar mingau de milho, comer bolo de macaxeira, bolo de tapioca, bolo de milho, pipoca...fazer um pedido, pular fogueira, dançar quadrilha...

27 de jun de 2007

Brasileira(o)s no exterior, uma informação importante...

Este documento (Brasileiros no Exterior - Informações Úteis ) está no síte do MTE e em consulta pública, isto as pessoas podem enviar sugestões para a versão final.

Divulgo aqui porque acho importante as pessoas saberem deste documento e emitirem suas opiniões.

Se serão aceitas eu não sei, mas acho legal participar do processo.

26 de jun de 2007

Os meus neurônios estão endoidando


Há quase quatro meses estudando alemão e minha cuca resolveu fazer um mix...

Como assim?

Desde a adolescência estudava inglês, mas nunca conseguia terminar. Começa, parava e re-começava. Sempre assim.

Uma vez, levei a sério e já estava indo para o avançado, quando parei. Demorei uns dois anos para retormar e sempre voltava para o básico, não conseguia avançar.

Agora aprendendo alemão na Alemanha e para viver melhor aqui, tenho que levar isso a sério.

Mas aos 36 anos aprender uma nova língua, especialmente esta que nunca tive sequer contato, não tem sido fácil.

Então tem horas que meus neurônios brigam um com outro e a sinapse fica incompleta e eu começo uma frase em inglês e termino em alemão. Tá uma coisa doida.

Outro dia na aula, a professora mandou eu ler um texto e começava com uma apresentação, e saiu sem querer, me apresentei em inglês como se fosse a coisa mais natural...todo mundo caiu na risada, pois a professora bem alemã deu um grito dizendo "o que Roseane? Não estou entendendo..." Ela fala bem inglês, mas...só percebi depois..

Tem horas que uso o pronome pessoal em inglês e o verbo em alemão ou vice-versa.

E assim vou levando, mas espero melhorar meu alemão e dar cabo nesta doideira de misturar línguas diferentes em uma frase.
Alguém tem alguma sugestão?

24 de jun de 2007

Brasileira(o)s no exterior, uma informação importante...

Consulta Pública
Voltar Enviar Imprimir Página Inicial Retorne ao menu para Leitores de Tela.
Brasileiros no Exterior - Informações Úteis
A construção deste "Informe" foi realizada por uma Comissão Interministerial, criada pela Portaria do Ministro do Trabalho e Emprego nº 141 e publica no DOU de 24 de outubro de 2006.
A Comissão foi composta pelos seguintes órgãos: Ministério do Trabalho e Emprego (que coordenou os trabalhos), Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Justiça, Ministério da Educação, Ministério da Previdência Social, Ministério da Saúde, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República e Comissão Nacional de População e Desenvolvimento. Contou ainda com a participação da Organização Internacional do Trabalho, da Organização Internacional para as Migrações e do Instituto Migrações e Direitos Humanos.
No processo de construção do "Informe", foi realizada consulta às Comunidades de Brasileiros no Exterior, o que em muito contribuiu para o conteúdo e a forma de organização do texto.
Cada Ministério envolvido proveu um aporte de informações e conhecimentos à Comissão que, por meio de um Comitê de Redação, compilou os textos recebidos, padronizou e simplificou as informações, construindo uma versão mais resumida e concatenada.
Essa nova versão foi encaminhada oficialmente a cada Pasta para validação, e as respostas, encaminhadas, formalmente, à Secretaria da Comissão.
O texto é, portanto, uma construção coletiva, sendo cada área de governo responsável pelas informações dos temas a que estão afetas.
Ademais, para possibilitar a contribuição da sociedade e, em especial, dos migrantes, a Comissão decidiu, antes da edição de sua versão final, disponibilizar o texto para consulta pública, a fim de colher sugestões que possam aprimorar o resultado do trabalho.
Brasileiros no Exterior - Informações Úteis - Arquivo PDF (301kb)
Dê a sua opinião até 19/07/2007

23 de jun de 2007

Maniçoba

Para preparar uma maniçoba, eu digo não uma qualquer, eu digo uma boa maniçoba, é preciso cozinhar as folhas da maniva por sete dias.

Para escrever um bom post sobre a maniçoba eu também precisava de sete dias, mas pressão tava graúda.

Hoje em dia a gente encontra nos supermercados a maniva pré-cozida, e dos sete dias necessários para cozinhar a folha, bastam três para o preparo desse prato tradicional da Região Norte, especificamente do Pará.

Eu sabia que não seria tão simples assim escrever sobre a maniçoba. Além de ficar com a boca cheia d'água só de pensar, isso ainda vem carregado de emoções, lembranças e saudades.

Eu digitei na busca virtual a palavra maniçoba, apareceram muitas coisas...mas prefiro falar do meu jeito, como lembro, do cheiro, da cor e do paladar.

Maniçoba não é um prato bonito (a cor é verde escuro, quase negro), quem vê pela primeira vez, pode até repudiar...mas se a pessoa se despir de preconceitos e aceitar uma prova, difícilmente resistirá a uma boa pratada de maniçoba, arroz e farinha. Sim eu como com farinha de mandioca!

Dizem que é a feijoada do norte. Pois todos os ingredientes são os mesmos da feijoada, mas no lugar do feijão, vai a folha de mandioca (maniva).

Quanto mais tempo a maniva for cozida, mais escura ela fica, e mais gostosa também.

Depois de dias cozinhando na lenha ou no gás com sal e folha de louro, é adicionada as carnes bovinas e suína, carnes secas, defumadas, bucho, etc...Tempera-se muito bem com cominho, pimenta do reino e a gosto da(o) cozinheira(o).

Para a maniçoba ficar no ponto é preciso paciência. Também não se pode esconder, o cheiro exala pela casa, varando o quintal, pulando o muro e avisando a vizinhança.

Quem faz maniçoba sempre faz muito, nada de miserê de fazer numa panelinha...Maniçoba é comida pra muita gente e pra muitos dias. Por isso, é preciso prepara-la em um panelão.

A maniçoba é um prato tradicional da cozinha paraense, muito comum ser vendida em barraquinhas de rua e é fundamental que em outubro, todo católico que se preze preprare esse prato no segundo domingo de outubro, após o Círio de Nazaré, padroeira de Belém, no Pará.

Mas aí é outra história e se o post ficar grande ninguém tem paciência de ler até o fim.


18 de jun de 2007

Sem tempo

Tive um final de semana com visitas brasileiras em casa e a atenção foi voltado pra eles. Agora preciso me recuperar do intenso fim de semana que tive e depois volto para explicar o que é maniçoba.
Boa semana!!!

15 de jun de 2007

Surtando...

Bitte Ciça diz que eu ainda não surtei...

Tudo começou quando...
Compramos creme de couve pensando que era espinafre...
Ao chegar em casa percebemos o erro...tudo bem sem problemas, somos bons de boca mesmo.
No outro dia...a fome bateu, as tripas já estava dando nós...
Flavio foi para a cozinha preparar o almoço, era o dia dele (adoramos o dia dele!!!! eh eh eh eh)
- Amor tá pronto!! Pega teu prato e vamos comer fora.
O dia tava lindo, calor de 28 graus em Heidelberg, céu azul...
O menú era:
- Salada
- Arroz
- Salsichão branco
- Creme de couve com batata e algo parecido com bacon (mas n tenho certeza)

Na primeira garfada do creme de couve, meu coração quase saiu pra fora, a adrenalina subiu...aí fiquei pensando:
"pera'í nós não estamos em outubro, eu não estou em Belém...eu tô acordada... égua, o que é isso?!"
- Amor isso aqui é de verdade???
Ele fez cara de quem não entende nada...
- O que???
- Essa maniçoba, oras!!!!
- Que maniçoba??? Isso verde não é maniçoba, é creme de couve.
- Mas tem gosto de maniçoba, pra mim é maniçoba, só falta a farinha.
- Mas não é.
- Quer teimar é??? Pra mim é MANIÇOBA, deixa eu sonhar vai...
- Tá bom!!!

Pois é surtei...mas tinha gosto de maniçoba...uma delícia!!!

13 de jun de 2007

Dia de Santo Antônio

Santo casamenteiro recebe pedidos via web

Internet tem diversas opções para solteiros no dia de Santo Antônio. Além de pedidos para santo, programas podem ajudar na busca pela cara-metade
No dia 13 de junho, regido por Santo Antônio, "o casamenteiro", as esperanças dos solitários se renovam. Se esse é o seu caso e sua meta é ter a companhia de um grande amor no próximo Dia dos Namorados, uma boa dica é fazer o pedido para o santo via internet (clique aqui e faça seu pedido). Nesse site, os internautas também podem conhecer mais sobre a vida do santo e ler sua oração"
Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL51565-6174,00.html

Hoje é dia de Santo Antônio

E a festa deve rolar solto pra lá do Atlântico, no Brasil.
Copiei e colei...pura falta de criatividade e muitos deveres de alemão para fazer

ALGUMAS SIMPATIAS DE SANTO ANTÔNIO
Conhecido, carinhosamente, como Antoninho, Santo Antônio tem fama de casamenteiro.
Dizem que as simpatias evocadas em seu nome dão certo. Claro que tudo isso faz parte das supertições bem características do povo brasileiro. Talvez pela mistura de raças e crenças, não sabemos, mas a posição que temos diante dessas brincadeiras, vamos chamar assim, é a grande necessidade das pessoas conseguirem uma fórmula para tudo na vida.
1 – Quem deseja descobrir o nome do futuro companheiro deve comprar um facão e, à meia-noite do dia 12 de junho, cravá-lo numa bananeira. O líquido que escorrer da planta deve formar a letra do futuro amor.
2 – Uma das mais antigas tradições diz que, para descobrir o futuro companheiro, é preciso escrever os nomes dos candidatos em vários papéis. Um deles deve ser deixado em branco. À meia-noite do dia 12 de junho, eles devem ser colocados em cima de um prato com água, que passará a madrugada ao relento. No dia seguinte, o que estiver mais aberto indicará o escolhido. 3 – Aqueles que têm pressa em arranjar um namorado devem comprar uma pequena imagem do santo. E para agilizar a conquista do pedido, fazer dois procedimentos: tirar o Menino Jesus do colo do religioso, dizendo que só devolverá quando conseguir um namorado, ou ainda, virar o Santo Antônio de cabeça para baixo.
4 – O mais afoito tem ainda outro recurso. Deve ir a um casamento e dar de presente aos noivos uma imagem de Santo Antônio, sem o Menino Jesus. Depois, pedir no altar para se casar com alguém, especial ou não. Assim que a graça for alcançada, deve retornar à igreja e lá depositar a imagem do Menino Jesus.
5 – Os que já estão acompanhados, mas ainda não subiram no altar, também possuem práticas específicas. A pessoa deve amarrar um fio de cabelo seu ao do namorado. Eles devem ser colocados aos pés do santo, que, logo, logo, resolve a questão.
6 – À meia-noite do dia 12 de junho, quebre um ovo dentro de um copo com água e o coloque no sereno. No dia seguinte, interprete o desenho que se formou. Se aparecer algo semelhante a um vestido de noiva, véu ou grinalda, o casamento está próximo.
7 – Para a pessoa saber se o futuro companheiro será jovem ou mais velho, é preciso arranjar um ramo de pimenteira. De olhos fechados, ela deve pegar uma das pimenteiras. Se a escolhida for verde, ele será jovem. Caso contrário, o casamento acontecerá com alguém de idade avançada.
8 – A tradição popular acredita que há uma forma especial de fazer as pazes entre casais brigados. Para isso, é preciso um cravo e uma rosa. Os talos devem ser amarrados juntos com uma fita verde, na qual serão dados 13 nós. Durante o procedimento, o devoto deve pensar que Santo Antônio vai uni-los outra vez.
9 – Para descobrir se falta muitos anos para a grande data, na véspera do dia 13 de junho, à meia-noite, amarre uma aliança – que pode ser de qualquer parente – numa linha ou num fio. Coloque um copo sobre a mesa e segure o fio de modo que a aliança esteja dentro do copo. Pergunte, então, quantos anos faltam para o casório. O número de batidas informa quantos anos ainda restam para o Dia D.

Esse outro síte sobre festa junina também é bem legal, mas não dá para copiar e colar...eh eh eh

12 de jun de 2007

Livros

Eu tenho que postar sobre cinco livros. Já não lembro se são os melhores livros que li ou que ainda estou lendo...
Faz tempo que não leio livros de ficção, poesia, ou outro tipo...os que li recentemente foram:

1- "Contando a nossa história - as raízes e os caminhos de uma família" de Margot Schieck Valente e Silvia Regina Schieck Valente Ricci
Minha falecida sogra e cunhada respectivamente.
Conta história do avô do meu marido até os dias atuais. Até eu entrei no livro.É muito lindo e emocionante. A gente começa a ler e se envolve totalmente.
A edição foi limitada. Tudo foi pago pela minha cunhada, que após a morte de minha sogra resolveu terminar o livro.
Publicar um livro assim é caro, mas deixar registrado de uma forma tão linda não tem preço.


2 e 3- Terminei o livro 1 em maio. Foi com ele que comecei as primeiras palavras em alemão.

Estou na 3 lição do livro 2.

Um aprendizado e tanto


4- O último vôo do flamingo - Mia Couto

"O romance narra estranhos acontecimentos de uma pequena vila imaginária, Tizangara, ao sul do país, onde militares da ONU começam a explodir subitamente. O autor elabora uma crítica ácida aos semeadores da guerra e da miséria, mas também uma história em que poesia e esperança dependem da capacidade narrativa de contar a própria história com vozes africanas autênticas. Só elas sabem que o vôo do flamingo faz o sol voltar a brilhar depois de um período de trevas e opressão"

Maravilhoso!!!!Comecei a ler e não queria parar, me senti completamente envolvida.


5- Gramática Alemã - Herbert Andreas Weller

Encontrei em uma loja de livros usados e fiz uma troca.

Está sempre em minha mesa, mas a leitura é escassa.



Esses são os livros mais recentes...
Eu não gosto de correntes, portanto quem quiser falar sobre seus livros fique a vontade e com certeza eu vou gostar de saber sobre os gostos e/obrigações de cada um...

10 de jun de 2007

Meu cabelo

Já que pediram uma foto do novo corte...
Mas não mudou nada, como falei, foram só as pontas...
Essa foto eu bati em uma outra aventura com mais duas Brasileiras em Mannheim... pegamos o trem e fomos conhecer o comércio de lá.
Uma queria uma bota e a outra queria encontrar um presente diferente, eu só queria passear e olhar...
A gente só tinha duas horas para as compras, mas deu tempo para um registro numa pracinha no centro da cidade.
"Você lembra dos meus cabelos?" pois é, o corte não mudou muito, mas ele já está perdendo o efeito da escova progressiva que fiz há 6 meses...

Mudando de assunto totalmente
Um pouco atrasada, mas acho que ainda dá tempo...
Veronica você me pediu informções sobre o curso de alemão que faço aqui em Heidelberg, eu ia te repsonder por email, mas você não deixou email nem o endereço do blog (não sei se você tem), aqui vão algiumas informções:
- Eu estudo no Pädagogium. Eles tinham um síte, mas acho que está temporariamente dasativado, não sei, pois não encontrei para passar o endereço pra você.
- Antes de estudar lá, eu primeiro procurei na internet sobre os cursos de alemão aqui em Heidelberg, consultei a comunidade no orkut e o Viver na Alemanha.
- Quando cheguei aqui, visitei duas escolas, mas gostei mais do Pädagogium e decidi ficar lá e não me arrependo.
-Não é a mais barata, mas também não é a mais cara. Tenho duas professoras que são ótimas. São duas porque faço dois cursos, o intensivo e o de integração.
No síte do Viver você encontra informações de vários cursos e alguns têm síte. Vá lá, pois esse síte é muito bom e ajuda muito.
Espero ter ajudado e me desculpa pela demora em responder.

9 de jun de 2007

Me aventurando no Reino da Batatolandia

Há quase seis meses sem cortar o cabelo, antigamente cortava a cada 3 meses...resolvi me aventurar e ir no salão de beleza perto de casa.
Vi uma propaganda com os preços e me pareceu bem em conta para uma pessoa sem redimentos mensais. Decidi cortar as pontas, só as pontas...fiquei com medo de fazer algo diferente, pois meu cabelo é especial (pelo menos eu acho) e não é para qualquer mão meter a tesoura.
Na última vez que cortei e entreguei esses cabelos especiais na mão de um desconhecido , deu m.
Não queria cometer a mesma coisas aqui no Reino da Batatolandia. Por isso queria cortar só as pontas...mas como explicar o corte? como explicar , tudo em alemão, que ele ainda está sob efeito da escova progressiva...e que o cara errou na última vez que cortei meu cabelo e ele tava bastante irregular...
Então fiz um desenho, explicando tudo em alemão, mais ou menos assim:
1 dedo, na parte mais curta de toda a cabeleira
2 dedos na parte menos curta, e
3 dedos na parte mais longa do cabelo, que é a parte de trás
Ela, a cabelereira, lavou meu cabelo, olhou o desenho e começamos a dialogar em inglês (ela falava inglês)...
Gente, ela cortou exatamente como havia escrito, 1 dedo, 2 dedos e 3 dedos, nem um milímetro a mais...fiquei impressionada!!!
No Brasil, eu pedia quero cortar só as pontas, aí minha cabelereira em Brasília, me perguntava quantos dedos? e dizia, porque você não corta assim, assado....sempre queria fazer algo diferente... apesar da insistência e das sugestões sem eu pedir, eu sempre gostava quando ela cortava meu cabelo. Semrpe deixava do jeito como queria, embora os dois dedos que sempre pedia, parecesse 4 dedos...
Aqui pensei que ia ser assim também...mas ufa! ainda bem que não foi!!!! E eu saí bem contente com o cabelo cortado, mesmo parecendo que não tinha feito nada.
E o melhor de tudo, foi que paguei a metade do preço que pensava...não me pergunte porque, pois nem eu entendi.

8 de jun de 2007

Mais Rio Fashion


De um síte sobre a Rio Fashion

Falta negro na passarela do Fashion Rio
Semana de moda nova, polêmica antiga.

Falta negro na passarela do Fashion Rio.

Nesta edição do evento é notória a ausência de negros nos castings dos desfiles.

"Falta negro, mulato e mestiço. Falta também carioca. É um absurdo, num país como o nosso uma semana de moda apresentar desfiles com 98% de loiros de olho verde", diz, Sergio Mattos, diretor da agência 40º graus.

"Todo ano é a mesma coisa, e quando colocam negro em desfile botam um ou dois para deixar claro que é uma atitude politicamente correta", contesta o modelo Rafael do Vale, que participou de vários castings, mas não fez nenhum desfile.

"Já que é coleção de verão, que retrata a praia carioca, nada mais justo do que negros na passarela. É estranho ainda ter esse preconceito, essa exclusão", diz a modelo Thais Delgado

6 de jun de 2007

Rio Fashion - versão 2007

Na Fashion Rio 2007/2008:

Adorei essa frase do glossário fashion

"Exuberar - É não ter medo, é flertar com o risco, é estar sempre linda e montada, como se qualquer ocasião fosse muito importante. Parece brincadeira, mas faz a maior diferença! E mesmo em situações desagradáveis ou entre gente chata e mal humorada, o importante é exuberar. "

Mas detestei essa

"Susie - Alguém que tentou se produzir e ser uma Barbie, mas ainda não chegou lá. "

Milan Kundera já dizia, em algum livro que agora não lembro, "a vida é uma eterna repetição", e eu digo a moda também.

Eu já tive um short há muitos anos desse modelo aí embaixo


Eu nunca fiquei grávida, mas já usei um modelito bem parecido com esse da Carolina D., também há alguns anos....


"Carolina D. caprichou no look e usou casaquinho preto curto e shortinho balonê com cintura baixa, que deixou à mostra a barriguinha de 7 meses de gravidez".





Lista de quitutes de Gisele B. na Fashion Rio

"pães de queijo, tahine de cordeiro sobre pão de nozes, sanduíche de pepino (sim, ela é exótica), frango ao curry e madeleine de caramelo"

Pepino é exótico????


2 de jun de 2007

Meu novo meio de transporte


Quando comecei a trabalhar depois de formada (1995), a primeira coisa que comprei foi uma bicicleta.

Lembro bem do dia. Eu fui com uma amiga em uma loja de eletrodomésticos lá em Macapá. Ela fez um crediário e compramos no crediário dela duas bicicletas.

Na loja não tinha nehuma bicicleta montada e eles iriam entregar em até uma semana, mas a ansiedade era tanto que resolvemos ir no depósito da loja que ficava em um bairro bem longe buscar pessoalmente a bicicleta.

Chegamos lá por volta do meio dia. Eles disseram que ainda iam montar a bicicleta e que se a gente quisesse esperar...a gente comentou "já que estamos aqui vamos esperar."

Esperamos mais de três horas, e sem tostão no bolso, contamos nossas moedinhas e compramos um refrigerante para tomar.

Lá pelas 4 horas da tarde as bicicletas estavam prontas e a gente voltou pra pedalando e eu quase desmaindo de fome.

Sempre gostei de andar de bicicleta, quando comprei meu carro ela ficou de escanteio...depois resolvi vender.

Aqui em Heidelberg é comum as pessoas andarem para tudo quanto é canto de bicicleta. Tudo é sinalizado, com pista para ciclista e tudo mais.

Decidi comprar uma bicicleta. O verão tá aí batendo na porta...e como não estou fazendo nenhuma atividade física, achei que seria bom pra mim.

Primeiro fui em lojas de bicicletas novas. Encontrei várias, cada uma mais linda que a outra, do jeito que queria, mas...o preço não era do jeito que queria.

Então fui em loja de bicicletas usadas...mas não gostei de nada.

Aí meu marido disse que perto do trabalho tinha uma loja de bicicletas usadas bem legal...e lá fui na Madame Velo.

A Madame Velo tem um visual bem diferente, pena que não bati foto. Mas já fui gostando de cara do jeitão da loja. Parecia uma oficina mas com uma propaganda super engraçada. E tem até síte...

Encontrei uma semi nova do jeitinho como queria, não foi barata, mas não resistir e comprei.

Voltei pedalando pra casa, senti um pouco de medo, há muitos anos não pedalava, especialmente em um lugar novo, onde é preciso conhecer as regras do trânsito.

Já estava na metade do caminho e resolvi subir e andar pela calçada. Aqui pode andar pela calçada se a rua for muito estreita e passar o bonde. Mas é preciso que tenha sinal indicando isso.

Eu subir na calçada sem ver nenhuma placa, mas havia estacionamento de bicicletas...então pensei "acho que posso..."

Na minha frente tinha uma senhora carregando uma sacolas. Minha bicicleta tem uma busina, que por sinal adorei e de vez em quando dava businada para escutar o "trin trin"...

Quando vi a senhora na minha frente, diminuir a marcha, sim ela tem cinco marchas, chic não?

A senhora não andava numa reta...eu não sabia bem o que fazer, se ia pela direita (mas eu tinha certeza que não podia) ou ia pela esquerda. Mas eu precisava ultrapassa-la...resolvir fazer o "trin trin" para ela sair da minha frente... pra que????

A mulher deve ter me xingado até o diabo dizer chega... Ela gritou um monte e eu fui pedalando mais rápido que pude...ainda bem que não entendi nadica de nada...eh eh eh..

Mas quando ia saindo da calçada, o sinal estava fechado para mim e eu não podia seguir em frente...aí eu pensei "é agora que ela me pega..." nem olhava para trás...aí o sinal abriu e eu saí pedalando nem vi se ela tava atrás de mim.

Aí cheguei em casa toda suada, sã (?), salva e feliz.
"Sou eu que te levo pelos parques a correr,
Te ajudo a crescer e em duas rodas deslizar.
Em cima de mim o mundo fica à sua mercê
Você roda em mim e o mundo embaixo de você.
Corpo ao vento, pensamento solto pelo ar,
Pra isso acontecer basta você me pedalar. " Toquinho

1 de jun de 2007

Porque eu ando com saudades da minha bandeira...

Eu resolvi divulgar algumas coisas por aqui...
Informações aqui neste síte

Próximo Fórum Social Mundial, em 2009, será em Belém do Pará

Reunidos na Alemanha desde o dia 29, os membros do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial decidiram, nesta quinta, que a próxima edição do evento acontecerá em Belém. Cidade bateu candidatos como Indonésia e Coréia do Sul.
Leia mais aqui