28 de jul de 2008

O Castelo de Heidelberg

Embora esteja em ruínas, devido aos ataques de várias guerras e incêndios, eu acho o castelo de Heidelberg estupendo, além de ser o mais bonito de todos os que já visitei.
Podem me chamar de bairrista...
O Castelo é um dos pontos turísticos mais importantes de Heidelberg.

Quem visita Heidelberg pela primeira vez ,tem que ir ao castelo, ou pelo menos chegar prósimo e olhar de baixo para cima.
Assim é possível ter uma idéia da dimensão da imponência do Castelo.
O Castelo fica localizado na centro da cidade, na parte histórica ou cidade velha, como algumas pessoas dizem.

Para visitar o castelo, existem dois jeitos: ir de teleférico (é pago) ou pegar uma trilha e ter mais contato com a natureza, além de ser mais saudável também.
Ao chegar no alto da montanha, é preciso pagar para entrar no pátio do Castelo. Tanto o teleférico como a entrada ao pátio do Castelo não são caras. E vale a pena!

Com essa entrada, além do pátio, é possível conhecer local onde está o grande tonel de vinho.
Esse tonel tem capacidade para mais de 220.000 litros de vinho.
Dizem que o povo pagava os juros dos impostos atrasados com vinho e por isso o barril estava sempre cheio.
Próximo ao tonel, tem um Café, um lugar para comer alguma coisa rápida ou tomar água, suco, vinho ou cerveja.

Do pátio do castelo é possível ver uma das fachadas do castelo. Uma mistura de estilo barroco e renancentista.Eu não posso escrever muitos detalhes sobre a arquitetura porque não entendo nada de arte e nem de história :(

Mas acho tudo muito impressionante. Confesso sem nenhum segredo que sou deslumbrada demais com o Castelo.

O pátio do castelo é enorme e dá para ficar lá no mínimo 1 ou 2 horas passeando, olhando a cidade.
A vista do castelo para a cidade velha é impressionante e linda!
Dentro do Castelo, é possível visitar vários locais, alguns são todos pagos.


A parte interior, é só com visita guiada. É possível ver as esculturas originais que foram preservadas, alguns móveis, o salão de festas, a capela, ouvir histórias pitorescas sobre o rei, e etc. A entrada é paga.
  1. Tem o Museu Alemão da Farmácia, com uma coleção de objetos, instrumentos e mobília de laboratório desde a idade média. Para quem gosta ou é da área será muito interessante visitar. É grátis.

Após passear pelo pátio, interior do Castelo e o Museu , é aconselhável ir até os jardins. É um local lindo, enorme e também tem uma visão maravilhosa da cidade. Não é pago.
Aliás, o jardim é um romântico convite para um piquenique a dois, uma conversa ao pé do ouvido, um amasso... Mas também um lugar para encontrar amig@s e/ou deixar a criançada deitar e rolar na grama.

Agora me digam, é ou não é para ficar cheia de pavulagem de morar em uma cidade com um castelo desse??
Compartilho aqui algumas fotos, feitas em momentos diferentes, pois já fomos várias vezes no imponente castelo, agora é só clicar em cima da foto que vai te direcionar para o link do álbum.
O castelo de Heidelberg

27 de jul de 2008

Enquanto engomo a calça

Se quiser escutar esta música clique aí embaixo

http://www.mpbnet.com.br/images/sound.gifClique para ouvir em RealPlayer com Ednardo

Enquanto engomo a calça
(Ednardo e Climério)

Arrepare não
Mas enquanto engomo a calça eu vou lhe cantar
Uma história bem curtinha fácil de contar
Porque cantar parece com não morrer
É igual a não se esquecer
Que a vida é que tem razão
Porque cantar parece com não morrer
É igual a não se esquecer
Que a vida é que tem razão

Esse voar maneiro foi ninguém que me ensinou
Não foi passarinho
Foi olhar do meu amor
Me arrepiou todinho quando olhou meu coração

Ai, mas como é triste
Essa nossa vida de artista
Depois de perder Vilma pra São Paulo
Perder Maria Helena pro dentista

25 de jul de 2008

Talentos artísticos ou prendas

Ontem eu tive que fazer a baínha de uma calça e fiquei pensando: "sou uma pessoa sem prendas domésticas ou talentos artístico."
Sim não tenho o menor talento para trabalhos manuais.

Não sei fazer baínha, não sei costurar, não sei pintar (tecido, tela, papel...), não sei bordar, não sei cozinhar, não sei fazer crochê, não sei um monte de coisa...nem dançar eu sei!
Admiro quem tem essas habilidades.

Quando eu era criança, fazia roupas da minha boneca e costurava tuda a mão.
Minha tia costureira, dizia com orgulho que eu seria costureira, mas fui crescendo e não levei a sério ou não desenvolvi essa habilidade.

Minha mãe borda muito bem. Faz coisas lindas, como colchas, guardanapos e até já fez camisinhas de bebê bordadas a mão. Mas eu nunca aprendi.

Na adolescência eu comprei uma revista sobre pintura de vidros e tentei por em prática a leitura, mas não deu certo :(
Talvez um dia ainda desenvolva alguma habilidade... pelo menos cozinhar já dei uma melhorada.

Mudando de assunto
Finalmente o sol deu as caras por aqui e a temperatura subiu.

O pneu da minha bicicleta está seco ou furou e eu ainda vou ter que resolver isso, pois é o meu meio de transporte aqui e agora que o calor chegou, quero aproveitar e pedalar...

Se eu sumir da blogosfera, é porque estou curtindo o verão por aqui.
Bom findi!

23 de jul de 2008

Direitos Humanos

Este ano a Declaração Universal de Direitos Humanos completa 60 anos. Tivemos muitos avanços, mas ainda temos muitas coisas para conquistar.
Quero falar mais sobre os direitos humanos por aqui.
Por enquanto recomendo esse vídeo, é bem curtinho, tem 30 segundos.
O nome é "Em cada diferença a igualdade". Foi produzido pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos do Brasil.

21 de jul de 2008

Festa brasileira na Alemanha

Ontem a Fórmula 1 foi em uma cidade aqui perto, em Hockenheim. Mas só assistimos pela tv.
E Nelsinho Piquet chegou ao pódio pela primeira, ficou em segundo lugar e Felipe Massa ficou em terceiro.
Apesar da gente torcer pelo Massa chegar em primeiro e não ter dado certo, só o fato de termos 2 brasileiros no podio já valeu.
Para saber mais leia aqui.

PUBLICANDO UMA FOFOCA
O chatérrimo Galvão Bueno, a mulher e o filho estiveram aqui em Heidelberg e visitaram o Castelo.
Uma amiga estava na fila comprando a entrada quando escutou ele falar que gostaria de ter o folheto turístico em inglês, pois o filho mora em Mônaco.
Não entendeu? Explico...
Existe o folheto em português e em outras línguas, mas ele não quis porquê o filho, que o acompanhava, mora em Mônaco. Mas peraí, em Mônaco, a língua é o francês...
O caro é um mala!!! Sem alça e sem rodinha.

20 de jul de 2008

Dia da amizade

E aniversário da minha cunhada também.

Eu nunca fui uma pessoa popular, do tipo que é o centro das atenções em qualquer lugar, seja na escola, na festa, no trabalho...sempre fui muito tímida.

Mas, amigas, eu sempre tive. Amigos nem tanto.

Com os homens, eu fui amiga em algumas fases. Lembro do Carlos, meu melhor amigo durante os anos da Universidade. A gente não se desgrudava. Todo mundo achava que a gente namorava escondido, mas nunca rolou nada. Tive outros amigos, mas parece que a amizade foi mais curta ou vida foi tomando outro rumo, não sei.

Já com as amigas, a maioria delas, a amizade permanece até hoje.
Fui procurar fotos para postar aqui e descobri que tenho muitas amigas, e amigas espalhadas por todos os lugares do mundo. Até me surpreendi com isso.

Eu tenho todo tipo de amiga, daquelas que escutam minhas confidências e sonhos, as solidárias, as da mesma profissão, as de longa data, as de infância, aquelas do primeiro porre, as da baladas, as que me apoiam em tudo e não me criticam e por aí vai...

Eu tomei uma decisão que espero que funcione.
Até o final do ano quero falar aqui e postar uma foto de cada amiga que tenho...


Hoje eu vou começar pela minha cunhada, que primeiro era apenas uma amiga e agora há mais de 15 anos é da família. Casou com meu irmão e meu deu um sobrinho muito lindo. Além de tudo hoje é aniversário dela, a Sandra.

A Sônia e a Mônica tem sido incrível. Ao mudar para cá, tenho contado com a ajuda delas para resolver algumas pendências na área profissional em Macapá. Além de me paparicarem muito quando estive em dezembro e janeiro do ano passado lá.


Marcélia é nutricionista, e, trabalhamos juntas em um hospital em Macapá. Também já fomos juntas para balada e agora ela tem visitado frequentemente meu blog e sempre faz comentários gentis.

Essas 4 amigas são pessoas muito especiais e a distância não esfria nossa amizade.

Feliz dia da amizade para todas as minhas amigas reais e virtuais. Os amigos também!!!

Eu recebi um power point sobre amizade muito lindo. Se alguém quiser receber me avisa que eu envio por email, ok?


19 de jul de 2008

Comparando França e Alemanha

Assim como foi breve o período que fiquei lá, as palavras aqui, também serão breves.

França

Comida e algumas coisas são mais caras.
Transporte público bem mais barato.
A comida é maravilhosa, os pães e tortas são fantásticos.
O povo francês é mais chic, mais dispojado, mais carinhoso. Os cumprimentos geralmente são com dois beijinhos no rosto, inclusive entre os homens.
Lá eu fui Madame.

Alemanha
A comida é mais barata.
Transporte público mais caro, pelo menos em Heidelberg.
Os pães são bons, mas não se comparam com as baguetes francesas.
O povo alemão é mais contido, os cumprimentos são mais discretos, apenas com aperto de mão ou um tapinho no ombro.
Aqui sou Frau Viana.

Essas foram minhas observações dos poucos dias que passei na França. E lembrando que isso não é uma regra.

18 de jul de 2008

Falando em cartas...

Canta comigo...
Ops, junto com a Cássia Eller...
Adoro essa música.


E.C.T.

Marisa Monte

Composição: Marisa Monte, Nando Reis, Carlinhos Brown

Tava com o cara que carimba postais
Que por descuido abriu uma carta que voltou
Levou um susto que lhe abriu a boca
Esse recado vem pra mim, não pro senhor

Recebo crack, colante
Dinheiro parco embrulhado em papel carbono e barbante
Até cabelo cortado
Retrato de 3x4 pra batizado distante
Mas isso aqui, meu senhor
É uma carta de amor

Levo o mundo e não vou lá
Levo o mundo e não vou...

Mas esse cara tem a língua solta
A minha carta, ele musicou
Tava em casa, vitamina pronta
Ouvi no rádio a minha carta de amor

Dizendo: eu caso contente
Papel passado, presente desembrulhado
Vestido
Eu volto logo, me espera
Não brigue nunca comigo
Eu quero ver nossos filhos
O professor me ensinou fazer uma carta de amor

Leve o mundo que eu vou já
Leve o mundo que eu vou...

Uma carta

"Quando o carteiro chegou
e o meu nome gritou
com uma carta na mão"

A internet facilita muito a vida da gente, mas uma carta chegando assim de repente e de uma rementente tão querida não tem preço.
O conteúdo não podia ser melhor...doces palavras para alegrar o coração sensível de uma exilada voluntária.
Fiquei pensando como ainda é bom ir em uma papelaria, olhar cartões, escolher um, achar que é a cara da pessoa que vai receber, depois escrever algumas palavras e colocar no correio.

Hoje em dia, nós só recebemos contas, propagandas, revistas e jornais por correio. É raro alguém escrever ou enviar um cartão.




Eu adorei o cartão e fiquei cheia de pavulagem!



17 de jul de 2008

Dia das Florestas e fotos na floresta

Em homenagem ao dia das florestas, compartilho algumas fotos do nosso passeio na floresta no último domingo.

16 de jul de 2008

Quem quiser me conhecer mais um pouco...

Estou aqui neste blog: Entrevistando Expatriados

A pavulagem de uma Macapaense na Alemanha

Roseanne na AlemanhaRoseane chegou em Heidelberg - na Alemanha, sofrendo de banzu, mas cheia de disposição para encarar a nova vida. Na bagagem veio todo seu “pertencimento” indígena, negro, caboclo e nortista. Além da pavulagem que não “arreda” dessa mulher com uma fibra sem tamanho.
Leia mais…

Engraçado a entrevista foi publicada no dia que meus pais fizeram 47 anos de casados.

15 de jul de 2008

Filmes

Eu assisti esses filmes clássicosE um filme brasileiro. Trailler do filme amores possíveis aqui

Cassia Eller e Luiz Melodia

14 de jul de 2008

Um final de semana agitado

Que terminou hoje, segunda-feira! E foi muito bacana.
No sábado recebemos em casa os Pohlminhas, para quem ainda não conhece, Sandra Mora e a família.
A gente mora em cidades vizinhas e há tempos que a gente tentava se encontrar e não dava certo.
O convite foi bem em cima da hora, uma coisa bem brasileira mesmo, acho que por isso deu certo.
O tempo estava bem agradável e ficamos batendo papo, biliscando coisinhas e tomando caipirinha, na sacada do apartamento. Eu adoro essa sacada.

Depois jantamos e nós fomos para o centro do cidade, pois aqui em Heidelberg, todo ano, no verão, tem show de pirotecnia no Castelo.
Este show é uma das grandes atrações da cidade, é uma celebração que todo mundo quer ver. E nós também.
Tivemos que nos separar da Sandra, pois amig@s brasileir@s decidiram olhar os fogo do alto da montanha em lugar chamado, Caminho dos Filósofos. Qualquer dia falo sobre esse lugar.
E a gente tinha combinado de se encontrar lá.
Essa foto do castelo em vermelho é a simulação de incêndio.

Quando terminou a queima de fogos, ficamos andando pela cidade a procura de um lugar para comer, conversar e beber.
Mas foi difícil, já era quase meia-noite e encontramos um lugar que só tinha cerveja e pão.
Um lugar grego. Uma amiga que estava no grupo conhecia os donos e por isso eles deixaram a gente entrar.

No domingo, esse mesmo grupo, tinha combinado um piquenique na beira do rio, mas o tempo não colaborou e vieram tod@s pra cá pra casa e fizemos um super lanche e depois subimos a montanha daqui de perto de casa. Passamos 4 horas na floresta.

Essa foto é quando estavámos voltando para casa. Lá no fundo é uma fazenda e um restaurante. A gente tinha parado lá para tomar suco e nos refazer da caminhada.

Depois fomos ao Memorial das pessoas mortas nas várias guerras da Alemanha. É um lugar bem bonito e no alto da montanha. De lá a gente tem uma visão incrível da cidade.

Voltamos para casa quase 7 horas da noite e comemos tudo o que tinha sobrado do super lanche.

Participei de uma entrevista no blog sobre expatriadas. Quem quiser ler, basta clikar aqui
E hoje, passei a tarde com uma amiga no centro da cidade para olharmos as liquidações de verão. Foram 6 horas batento pernas nas lojas.
Estou exausta.
Acho que vou descansar um pouco da blogosfera. Vou entrar de férias.

10 de jul de 2008

Dancing Days, a novela!!!

Eu li aqui que há 30 anos a novela estreava na TV brasileira.Eu só tinha 7 anos, mas lembro um pouco dessa novela.

Já escrevi sobre a novela ano passado, quando assisti um capítulo na tv italiana.

Republicando...
Um dia cheguei mais cedo do evento e liguei a tv, vi a Sônia Braga e deixei no canal para ver o que era. Foi bem divertido rever esta novela, me l
embro de pouca coisa, mas o engraçado é que da famosa briga entre as irmãs Julia e Iolanda, eu lembrava e foi justamente essa cena que revi no finalzinho do capítulo daquele dia.

Foi engraçado ver o elenco bem novinho, alguns mais bonitos e outros menos, por exemplo, Antônio Fagundes está bem melhor agora, apesar daquela bolsa de gordura debaixo dos olhos.

Na época da novela, eu tive uma meia colorida que usava com minha primeira melissa. Era moda e todas as meninas tinham uma.

Queria assistir essa novela de novo. Eu adoro as músicas da época.
Lá na Itália, eles fizeram uma versão italiana das músicas da novela.


E a Sônia Braga arrasou dançando, alguém viu ou lembra?

Será que existe a novela em DVD?


9 de jul de 2008

Sobre Nantes - França

Não teve a mesma magia que Grenoble, mas também foi muito bom.
Participamos do 3º Fórum Mundial dos Direitos Humanos.
Esses eventos nos fazem bem. Encontramos pessoas queridas, pessoas que também acreditam e lutam pelo mesmo ideal.
O evento foi no Centro de Convenções de Nantes. Um lugar enorme, e o público talvez fosse de 3.000 pessoas.
Flavio participou de uma mesa redonda sobre o direito à terra.
Esta programação foi logo após o intervalo do almoço. No salão onde seria o debate foi armado um pequeno teatro na entrada. Achei a dinâmica bem interessante. 2 atores e uma atriz encenavam como se estivessem em uma fazenda. A moça era a proprietária, o rapaz o capataz e o outro o empregado.
Todas as pessoas que iam entrar no salão para assistir o debate, precisavam passar pelas terras da fazendeira. O Capataz falava várias coisas, mas como não entendo francês, não sei o que ele dizia.

Durante todo o evento, teve apresentações de danças, teatro e música. Além de comidinhas maravilhosas. Foi muito bom.

Nós tiramos apenas um dia para passear. Infelizmente, o tempo não colaborou, e choveu bastante.

Achei interessante.
Em vários pontos da cidade, existe um estacionamento com bicicletas. Essas bicicletas são alugadas. No próprio estacionamento tem uma máquina e a pessoa pode fazer o negócio.
Pode-se pegar uma bicicleta em um ponto e depois deixar em outro ponto. Muitos turistas fazem isso para conhecer a cidade.
Um dia estávamos voltando para o hotel e já era quase 10 horas da noite e eu vi um rapaz limpando as bicicletas. Fiz uma foto de longe. Está no álbum aí embaixo.

Nantes-França

8 de jul de 2008

Problemas no haloscan

Não consigo ler na íntegra os comentários pelo haloscan.
Alguém que tem o haloscan também está com este problema?
Eu também não consigo ver o endereço do blog da pessoa.
Será que é algum tipo de configuração ou problema no próprio haloscan?
Se alguém puder me ajudar ou dar um dica eu agradeço.

6 de jul de 2008

Sobre minha viagem na França

Nós fomos para duas cidades na França, Grenoble e Nantes.
Não foi nem um sonho de viagem, mas foi bom, afinal viajar sempre é bom, ainda mais com a pessoa que a gente ama, não é mesmo?

Fomos de trem e foram muitas horas de viagem.
De Heidelberg para Grenoble +/- 9 horas. Depois Grenoble-Nantes, quase 7 horas, e finalmente Nantes-Heidelberg 8 horas. Tudo isso com algumas paradas, é claro.

Flavio tinha que ir a Grenoble, onde fica secção da FIAN na França.
A FIAN França é uma secção bem pequena, mas com um trabalho muito interessante. Só tem dois funcionários remunerados, o resto são membros e/ou voluntári@s.

O Presidente da secção nos convidou para ficarmos hospedados na casa dele, que fica em uma fazenda.
A fazenda na verdade, era uma grande propriedade. O dono construiu várias casas e aluga.

O Thomas e a Patricia, nossos anfitriões, alugaram uma casa em frente a plantação de nozes.
A casa deles é muito agradável. Tem um pequeno jardim e uma hortinha. Próximo ao jardim e a horta, eles colocaram uma mesa e nós sentavámos lá todos os dias para conversar, comer, ler e algumas vezes trabalhar.

Patricia é uma artesã. Ela trabalha com madeira. Faz coisas lindas em móveis antigos. Ela tinha um ateliê, mas fechou, pois os movéis e outros materiais não estavam tendo saída. Eu adorei essa bandeja que ela fez. Infelizmente, ela não tinha nenhuma pronta para vender.
Quem quiser conhecer o trabalho dela é clicar em cima do nome dela.

No dia que chegamos, na sexta-feira, vimos o astro rei, o sol, se pondo majestosamente por trás dos alpes, por volta de 10 horas da noite. Lindo demais!

Nós tivemos sorte em Grenoble, o tempo estava ensolarado e um pouco quente. A cidade é pequena, rodeada pelos alpes. Na tarde de sábado passeamos, Flavio e eu, pelo centro da cidade e também pegamos um teleférico e fomos até a Bastilha, onde pudemos ter uma visão de toda a cidade do alto da montanha.

No domingo, fomos convidados para almoçar na casa de um casal. Ele trabalha na FIAN, e convidou todos os membros e voluntári@s.
Ele mora em outra cidade. Também em uma pequena propriedade no alto de uma montanha. A família dele e da mulher mora nesse lugar há praticamente 500 anos.
Com certeza eles não são nômades.

Achei muito gentil da parte dele, nos receber com uma camiseta do Brasil.
Nós almoçamos nos fundos da casa. Eles colocaram uma mesa, armaram uma tenda para nos proteger, pois o sol estava tinindo.
Nós ficamos lá a inteira. Durante todo esse tempo, ficamos em volta da mesa, bebendo, conversando e comendo.
Nós tomamos vinho de laranja, produzida pelo família. Comemos alface da própria horta deles, colhida 20 minutos do almoço ser servido.
E no final, quando eu pensei já tinha acabado tudo, foi servido café com uma torta de de damasco maravilhosa. Além de frutas silvestres fresquinhas.

Um ritual que achei incrível e que me transportou para o filme "A festa de Babete".
Eu não sei explicar, mas achei tudo tão mágico, que nem acreditei no que vivenciei nOs dias que fiquei em Grenoble e redondezas.
Mais fotos para quem quiser ver.
Grenoble-França

4 de jul de 2008

Vamos exercer nossa cidadania...

Aos dias 17 de junho de 2008, às 05:30 horas da manhã, chegaram os policiais da Policia Estadual e da ROTAI em um ônibus lotado desses policiais.

Haviam: crianças, mulheres, gestantes, idosos que ali estavam dormindo. Os policiais chegaram e quando estavam conversando com todas as pessoas ali presentes na retomada, um policial bruto puxou uma taquara na mão da anciã Julia Meira Faustino de 54 anos de idade derrubando-a imediatamente no chão. Nós fomos proteger nossa anciã e começamos a apanhar de todos os policiais ali presentes.

Os policiais começaram arrebentando todas as barracas, colocando fogo em tudo que ali estava.
Empurraram mulheres, crianças e idosos, puxaram cabelos de mulheres e pisaram e chutaram as roupas dos indígenas.

Clique seguramente no link, veja mais sobre este absurdo e assine essa petição:

http://www.petitiononline.com:80/grumin12/petition.html

Rede GRUMIN de Mulheres Indígenas
Eliane Potiguara
Escritora Indígena - Ativista
Membro Acadêmico do Projeto Cultural ABRALI