16 de ago de 2015

Paz depois da tormenta - 4 meses...

Amanheci ao som de linda melodia indiana,
entremeada com trovões guturais
das profundezas do Vesúvio oriundos
contra o fundo musical de rajadas
estacatos e baldadas de torrenciais aguas
que dos céus despencavam,







A tempestade escorre em meu rosto
alaga alfombras e cisternas
penetra o recôndito do meu ser
transborda rios e lagos e
brota dos olhos qual suave catarata.





,
Viro pelo avesso
te busco em todas as partes
em nenhuma delas te vejo,
mas em todas te vislumbro em mim
        em meus sonhos e memorias,
             impregnada em meus sentidos
                  grávido de teu sorriso
                       cativo de tua esperanca
                            viva no meu amor
                                impulsionando-me ao futuro





Os pássaros gorjeiam o fim da tormenta
     tu pintas o céu com tuas cores em arco
           Estamos em paz





Flavio, Nápoles, 16 de agosto de 2015

"Ela está em mim, em cada célula, sua paz impregnada em cada fibra do meu coração, 
a imagem dos seus olhos sorridentes indelevelmente gravada na minha retina e
memória, e ouço-os sussurrar:  te amo, seja feliz.  Sinto-me pleno, engolfado por uma
morna energia de Anes, Ros e Rosas, gentilmente empurrado para o futuro" Flavio
Flávio