26 de abr de 2009

Pegada

"Tem que ter uma boa pegada" - foi o novo termo que escutei quando estive no Brasil.
Parece que é uma expressão do clube da Luluzinha, ou seja feminina.

Primeiro eu escutei na novela, depois algumas amigas comentaram sobre a "pegada" do atual namorado, marido, ou ex, etc...
Depois eu li uma entrevista de uma celebridade que estava solteira e ela dizia que o homem não precisava ser bonito, mas tinha que ter uma boa pegada.

Desde a primeira vez que eu escutei a palavra "pegada" eu saquei que era um termo novo e que não se tratava de rastro de pé ou daquele famoso texto "pegadas na areia".
Mesmo lendo muito em português (blogs e outros), quando a gente vive fora do nosso país de língua materna, parece que a gente fica meio cafona usando as velhas gírias.

Confirma se eu entendi direito, o homem com uma boa "pegada":
Não precisa ser cafajeste;
Tem que ter um Q de macho ou de masculidade ou de másculo sem ser musculoso;
Não precisa ser bonito, mas tem que te provocar reação;
A pessoa tem que pegar com vontade, sem ser bruto ou violento;
Ele faz a mulher se sentir única e maravilhosa;
Tem que ter papo, só ainda não entendi se tem que ter bom papo.
Deve ter mais coisa....

23 de abr de 2009

Tiana, a primeira princesa negra da Disney

Eu li na internet e gostei de saber dessa notícia.
"Na terra do sonho americano, Barack Obama derrubou tabus e demonstrou que qualquer um pode conseguir o que quer, e agora a Disney rompe mais uma barreira e dá vida a Tiana, sua primeira princesa negra, que aparecerá para o grande público em dezembro."
Para saber mais, clique aqui

----------------------------------------------

Pessoal eu ando super ocupada e por isso ainda não tive tempo de retribuir as visitas.
Eu acho que daqui por diante o blog vai ficar meio largado, não esperem muitas pavulagens na blogosfera.

19 de abr de 2009

Todo dia, era dia de índio

Mas agora eles só tem o dia 19 de abril
Pensamento Indígena
  • "Antes nós não sabíamos que tínhamos limites, só sabíamos que tudo era floresta... Agora demarcamos nossa área porquê é só o que sobra dos lugares antigos."
    (Kumai ; índio do povo Waiampi, do Amapá)
18/04/2009 - 18:30 - Lideranças indígenas afirmam que a paciência acabou

Cerca de 500 pessoas, lideranças de organizações indígenas de todo o Brasil e de uma grande quantidade de lideranças do Mato Grosso do Sul, participaram, no dia 16 de abril, do grande encontro de povo Terena e da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) na Aldeia “Mãe Terra” de Cachoeirinha, no município de Miranda/MS.

Mais aqui

Ministro da Cultura diz que índios tiveram grandes perdas e Estatuto vai ter que evoluir -
O ministro da Cultura, Juca Ferreira, considera grandes as perdas culturais dos indígenas brasileiros e afirma que esses povos foram submetidos a uma relação quase sempre “desigual e perversa”.
Isso eu li aqui

Eu já escrevi mais sobre os indígenas, está aqui.

18 de abr de 2009

Ah, os olhos azuis e a música de Chico...

Hoje eu tava mais para João e Maria:
Agora eu era o herói
E o meu cavalo só falava inglês
A noiva do cowboy
Era você além das outras três
Eu enfrentava os batalhões
Os alemães e seus canhões
Guardava o meu bodoque
E ensaiava o rock para as matinês

Mas eu encontrei a Morena de Angola
Vamos mexer o chocoalho e requebrar com ela? Ou será com o Chico?




Bom final de semana!!!

16 de abr de 2009

Mulher com o melhor físico do mundo

14 de abr de 2009

As cores da primavera em Heidelberg

A celebração da semana santa por aqui foi com um final de semana prolongado, céu azul e um adorável calor.
Na sexta tive um café com bolo e pão de queijo na casa de uma amiga, e foi mais um encontro de brasileiras com muito papo gostoso.
No sábado teve piquenique na beira do Rio.
Domingo passeio pelo bairro, onde fiz algumas dessa fotos.
E na segunda, fomos ver MILK, filme muito bom, recomendo.

O carrinho de mão virado de cabeça para baixo, parece cansado do trabalho, por isso virou. Ou a pessoa que usava-o, largou ele de mão e foi curtir a primavera.
Boa semana!!!

10 de abr de 2009

Páscoa e lembranças da minha infância

"Os termos "Easter" e "Ostern" (em inglês e alemão, respectivamente) parecem não ter qualquer relação etimológica com o Pesach(páscoa). As hipóteses mais aceitas relacionam os termos com Eostremonat, nome de um antigo mês germânico, ou de Eostre, uma deusa germânica relacionada com a primavera que era homenageada todos os anos, no mês de Eostremonat, de acordo com o historiador inglês do século VII, Beda."Fonte: Wikipédia.

Aconteceu uma coisa aqui em casa que me fez viajar ao passado.
Fui criada na religião católica.
Quando eu era criança, na sexta-feira santa, a gente não podia fazer barulho. Não podia trabalhar, não podia brincar, não podia escutar música, não podia um montão de coisas, mas o melhor NÃO PODIA, era que não podíamos apanhar e nem levar esculhambação.

Então na sexta-feira santa, a gente podia aprontar um pouco, porque sabia que não teria castigo e nem peia.
Em uma família de 6 crianças e mais agregados, era bem difícil manter a tranquilidade da sexta-feira santa, pois sempre havia uma briguinha entre meus irmãos.

Meu pais, muito católicos, só cravavam aquele olhar daqueles de derrubar avião e diziam: "deixa está que amanhã vocês vão romper a aleluia é debaixo do cinturão".

O dia de romper aleluia era no sábado, dia permitido para se esbaldar, cair na folia, escutar música e também entrar na peia, no castigo, fazer os serviços domésticos, etc.
Acho que hoje em dia não tem mais isso.

Mas voltando ao assunto inicial, o que aconteceu aqui em que me fez lembrar da minha infância foi:
Meu enteado que voltou a morar conosco aqui na Alemanha, comeu na calada da noite 2 ovinhos que eu tinha comprado para dar de presente aos filhos de uma amiga.
Quando eu acordei hoje e não vi os ovos, não falei nada, não fiz nada, afinal é sexta-feira santa e logo lembrei da minha infância... ah seu eu pudesse dá uma peia nesse moleque no sábado da aleluia.
Peia eu não dou, mas que ele vai ouvir, isso vai.

Boa páscoa para vocês!!!

8 de abr de 2009

Como eu comecei com 2 e agora 36 bolsas

Porque eu achei legal o post sobre as 33 bolsas que tinha, o tema veio a tona.
Além disso, eu ganhei 3 bolsas, daquela amiga que morava aqui e voltou para o Brasil.

36 bolsas, como tudo começou...
Há 8 anos, eu só tinha 2 bolsas, uma bege (lembro bem dela) e uma preta (pequena). Sempre tive bolsas pequenas.
Durante muitos anos foi assim. A bege era para o dia à dia e a pretinha para a noite (tenho até hoje).

Aí quando fui morar em Brasília adquirir a compulsão por bolsas.
Mas nunca me liguei em marca (aquelas famosíssimas). Sempre achei essas bolsas caras.

Gosto de bolsa de pano, leve, pequena e incomum.

Das 33 bolsas que contei por cima, acredito que umas 8 ou 10 são de congressos, eventos, reuniões... Eu ganhei mais de 15 bolsas nos últimos anos... Ano passado, eu contei, ganhei 5 bolsas e 3 carteiras...sou uma garota de sorte!!! :)

No meu aniversário, este ano, ganhei uma bolsa da minha irmã.
E agora herdei da Aline, uma mochila (eba!!!), uma mochilinha e um bolsão.
Agora eu tenho um bolsão também !!! :)

Eu aprendi com uma grande amiga que o pano de dentro da bolsa é importante e deve ser claro, pois se for escuro, é díficil encontrar uma caneta, o celular, etc...Deve ser a idade... ;)

Com tantas bolsas assim, é difícil escolher uma na hora de sair, mas na pressa, às vezes saio com aquela velha bolsa (estilo carteiro) que ganhei em um congresso.

3 de abr de 2009

Bretzel - para Lislene

Bretzel é uma espécie de salgado ou pão.
É típico aqui da Alemanha. É vendido em padarias, lanchonetes, bares, etc.
O bretzel tá para Alemanha, assim como o pão de queijo tá para Minas, o pastel para São Paulo, a coxinha, a empada, etc para nós brasileiras e brasileiros glutões.
Eu aprendi a gostar de bretzel. Logo que cheguei aqui, eu não gostava, achava muito salgado.
De uns tempos prá cá, comecei a apreciar esse pão. Às vezes compro ele com manteiga e às vezes sem nada.
Mas tem recheado com queijo, salame e salada.
Isto é, tem para todos os gostos!