31 de mai de 2012

Acessórios à vista!

Eu já falei aqui que o câncer me deixou um pouco mais vaidosa do meu ponto de vista. Tenho explorado mais o uso de acessórios, maquiagem e coloração das unhas.
Por esta razão decidi organizar meus acessórios.
Achei melhor colocá-los à vista, assim não fico usando o mesmo de sempre como costumava fazer.
Vejam como ficou:
Só falta organizar as bolsas, pois ultimamente tenho usado apenas uma cor de salmão. Às vezes dá preguiça de trocar de bolsa, colocar os apetrechos de uma para outra, aí sempre acabo esquecendo alguma coisa.

30 de mai de 2012

Hoje é dia de contar as plaquetas bebê!


Não só as plaquetas, mas as células brancas, células vermelhas, hemoglobina...
Eu poderia fazer este exame na minha médica de família, que por sinal fica há 3 minutos andando da minha casa. No entanto eu prefiro ir na Quimiolândia, pois lá, a tecnologia usada para esse exame é incrível. Uma furadinha no dedo para coletar umas gotinhas de sangue e pronto, o resultado sai em 5 minutos.
Essa foto foi feita na 3ª semana de maio, lembro que neste dia fez um pouquinho de frio.
Hoje já fui de sainha, sandália e camiseta.
Ah, esqueci de dizer que para chegar na Quimiolândia, eu pego bonde e depois ônibus, demoro em torno de 30 minutos para chegar lá.

29 de mai de 2012

Até tu no aí se eu te pego, André Rieu?

Adorei :)
 

Unha filha única

Ano passado quando estive no Brasil, minha irmã falou dessa moda de pintar a unha anelar com uma cor diferente. Na época achei estranho, mas agora que estou com uma coleção de esmaltes, acho que vou aderir a unha filha única também.
Gostei muito do cabelo, maquiagem e unha da atriz Vanessa Hudgens.
Neste link tem mais fotos unha filha única.

26 de mai de 2012

Delícias em Heidelberg!

No desjejum em casa:
Morango, maçã, tangerina, mirtilo, framboesa e amora, 
Para fim de tarde em café na calçada para apreciar o imponente Castelo de Heidelberg:
Cappuccino com Apfelstrudel
E para fechar a noite:
O melhor petit gatot do mundo
Bom final de semana!

22 de mai de 2012

Cabelos & Quimoterapia

Várias pessoas me dizem que ficaram admiradas por ter me despojado da vaidade ao assumir e expor aqui que tenho câncer de ovário.
Eu discordo, eu acho que foi mais uma questão de coragem e do que perda da vaidade. Eu já falei aqui sobre vaidade.Mas não quero escrever sobre isso novamente, e nem sobre a coragem de expor a minha luta contra o câncer publicamente. Pelo menos, hoje não.
Eu quero falar sobre a queda de cabelos e processo de tratamento do câncer.


Quando eu recebi o diagnóstico do câncer (já falei disso aqui), o meu médico falou que o meu cabelo ia cair. Isso era parte do tratamento para a cura do câncer.
Eu não estava muito preocupada ou triste com a queda de cabelo. A única preocupação era quando eu ia poder retomar minha atividades normais, ou seja quando eu ia ficar boa. Mas, isso eles não puderam confirmar.
Eu não vou negar, eu tive 2 momentos de choro durante o pós-operatório.
O primeiro, foram apenas discretas lágrimas que caíram quando o dia amanheceu e eu ainda estava deitada.
Na segunda vez, eu chorei muito, eu solucei, e foi no  abraço da enfermeira alemã que encontrei um certo conforto.
Então após o choro, eu passei a aceitar o câncer e lutar contra ele.

Chorar não ajudaria muito. Lamentar pior ainda. O passado não volta, o futuro ainda tá longe, decidi escrever sobre o assunto no blog. Também decidi cortar o cabelo, que estava um pouco longo. Neste post aqui, eu contei como nem se quer fechei os olhos, quanto mais, guardei uma mecha do longo cabelo.
Foi uma decisão bem tomada. Gostei muito do resultado e me achei linda. Curtir muito meus cabelos curtinhos.

Quando eu comecei a quimioterapia, os cabelos ainda demoraram para começar a cair (+ ou - 2 semanas). De repente,começou a cair muito. Foi quando decidi comprar uma peruca.
Detalhe: aqui meu seguro de saúde paga a peruca até um certo valor.

Por sugestão da moça que vende perucas, deixei ela passar a máquina na minha cabeça. Mais uma vez não fechei os olhos.
Quando ela terminou, eu gostei.  Eu me achei bem bonita de cabelo batidinho. Aqui tem fotos.

Depois de uns 3 dias, meus cabelos caíram mais e mais, mas não perdi totalmente os cabelos, ainda tenho. Estou quase careca. Qualquer dia vou mostrar aqui.
Não tenho vergonha de ficar sem lenço ou peruca (talvez seja uma falta de vaidade). Inclusive muita gente já me viu quase careca, pois só uso lenço para sair de casa ou quando recebo visitas, e a peruca só usei uma vez.

Quem me viu quase careca, a família e amig@s, acharam que fiquei com cara de bebê, o Flavio também pensa assim. Eu me acho com cara de punk e bem bonita :)
Tudo isso foi só para dizer que não fiquei triste ou deprimida com a perda dos cabelos, acredito que vai voltar a crescer. A queda é apenas uma consequência do tratamento e a única coisa que eu quero é ficar curada, com ou sem cabelo!



21 de mai de 2012

Estou no blog Conexão Brasília Maranhão


Estou na maior pavulagem e compartilho com vocês.
Fui citada/homenageada no blog do meu amigo Rogério.
O Conexão Brasília Maranhão é um blog que tem política, viagens, poesias, música e outras cositas mais. Gosto de blog assim :)

Aqui um pedacinho do que ele escreveu:

O dia amanheceu frio – para os padrões de quem mora – em Brasília e demorei a sair para minha incursão ao parque  Olhos d’Água.
E aí me lembrei que fui praticamente um morador do bloco J da 215 Norte. Tantas vezes muito bem recebido lá pelo Jonas, pelo Flavio, pela Roseane e pelo Léo, foi dali que aprendi a descobrir e a gostar de Brasília.
Leia o post na íntegra aqui

19 de mai de 2012

Pupunha: delícia, delícia assim você me mata


Nossa, nossa

Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego
Delícia, delícia
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego
Pupunha e Michel Telo, combinação perfeita :)
Minha irmã trouxe pupunha de Macapá, eu comi tudo e cantava essa música do Michel Telo, que por sinal veio gravada em um cd que minha cunhada me enviou.
Pena que não fiz foto comendo pupunha. Essa que você está vendo acima, foi feita em Macapá, há uns 3 ou 4 anos.
Os mimos que vieram de Foz e de Macapá, inclusive a pupunha estão na foto abaixo:
A pupunha está no prato no cantinho direito.
Eu já escrevi sobre pupunha aqui
Bom findi!

16 de mai de 2012

Marcha das Vadias do DF

Tenho visto cartazes da Marcha das Vadias do DF nas redes sociais e tenho achado muito legal, por isso resolvi compartilhar alguns aqui também.
A Marcha tem acontecido em várias cidades brasileiras, e em Brasília será no dia 26 de maio, com concentração no CONIC  a partir das 13hs.
Mais informações no blog: http://marchadasvadiasdf.wordpress.com/
Alguns cartazes da Marcha das Vadias do DF



E aqui o síte da camapanha nacional: http://marchadasvadiasbr.wordpress.com/


15 de mai de 2012

A salada que tanto amamos

Eu gosto e muito saladas. Aqui comemos diariamente.
Até ficar adulta, eu quase não comia. Achava ruim. Comecei a comer mais legumes e verduras quando comecei a estagiar em uma fábrica de exportação de peixe em Belém.
Eu estagiava no restaurante da fábrica, e lá eu sempre almoçava. Foi lá que aprendi a me deliciar com folhas e tomates. 
As nossas saladas são sempre variadas. No mínimo alface, tomate e pimentão.
Pimentão usamos verde, amarelo e vermelho. Colocamos queijo e azeitona também.
Flavio gosta de colocar cogumelo, fica muito bom também.
Temos como principio de que quanto mais colorida, mais saudável e mais gostosa.
Quanto mais colorida e variada, mais nutrientes têm.
O molho para a salada também é fundamental. Aqui dois exemplos de molhos que dão aquele toque especial:
Azeite de oliva, vinagre balsâmico, alho e ervas.
Suco de limão, alho e orégano.
Nós sempre acrescentamos na salada sementes de abóbora, linhaça e girassol.
Vejam algumas fotos das saladas que fazemos aqui em casa. 
Não é de comer com os olhos?
Então vamos comer salada minha gente?!
Vejam neste link, tudo o que já escrevi sobre o tomate.

12 de mai de 2012

Acessório de Bicicleta

Acessórios superpráticos!
Cestas:
decorada com flores e ou de vime
Acento:
para levar a garotada, ou menor para levar um(a) bebê!

8 de mai de 2012

Menopausa, que maravilha!

Por causa do câncer e da retirada dos ovários a menopausa chegou precocemente na minha vida.
E se alguém pensa que eu achei isso ruim, está totalmente enganada. Eu adorei isso :)

Foram 29 anos, menstruando 8 dias seguidos 1x por mês. 8 dias é muito não é mesmo?
Mas, todas a médicas&médicos que eu ia, diziam que 8 dias era normal, especialmente porque meu ciclo menstrual era bem regular.
Nunca senti cólica menstrual (que sorte!), mas tinha dores terríveis na coluna e na perna esquerda :(
Dos 8,  eu tinha 2 a 3 dias de fluxo intenso. E era tanto, que algumas vezes passei até vergonha publicamente. Pense numa tensão...
Menstruar, então sempre foi algo muito ruim.

Lembro que eu ainda brincava de boneca, corria pela rua, e odiava a idéia de deixar de ser criança e me comportar como uma mocinha.
Além da sensação de perda da liberdade, ainda tinhas as proibições e tabus ligados a menstruação.
Não devia se fazer isso, aquilo..., alguns alimentos deveriam ser evitados, porque provocaria odores, eu ainda deveria esconder de todos, principalmente dos homens, que estava menstruada.

Quando olho para trás e lembro de tantas coisas..., isso me parece inacreditável, mas acontecia e em pleno final de século XX.
Acho que dá para entender porque, a menstruação era tudo de ruim pra mim.
É por essas e outras razões que eu estou adorando a menopausa.
Tem aquele famoso calorão, que vem sabe lá da onde, mas eu suaviso com medicamentos naturais.
Só o fato de não menstruar mais por 8 dias, isso não tem preço.

Menopausa, sua linda, você é maravilhosa e muito feminina!

6 de mai de 2012

O câncer e a minha vaidade

vaidade (chamada também de orgulho ou soberba) é o desejo de atrair a admiração das outras pessoas. Uma pessoa vaidosa cria uma imagem pessoal para transmitir aos outros, com o objetivo de ser admirada (fonte: wikipédia).
Eu acho que a vaidade depende da perspectiva de cada pessoa.
Eu me achava vaidosa, mas muita gente ficava admirada quando eu dizia isso, ou seja, para essas pessoas, eu não tinha menor vaidade.
Então se eu comparar o meu conceito de vaidade com de outras pessoas, acho que sou minimalista.
E assim comecei a me auto-definir.
O câncer e as consequências do tratamento, como a queda de cabelo e anemia, me fizeram repensar algumas coisas. Ultimamente ando mais maquiada.  Fiz um curso de auto maquiagem na Quimiolândia.
Também tenho surfado muito em sítes de maquiagem, e turbantes.

É que agora tenho mais tempo para isso. Antes eu vivia na correria e sem muitas preocupações com esse tipo de coisa.
Antes do câncer, minha maquiagem para o dia-a-dia, e sempre apressada,  era simplesmente um batom. 
Às vezes, um lápis e ou rímel.  
A noite, para sair, passava blush e sombra, mas também não muito freqüentemente.
O batom sempre achei um item indispensável na minha opinião. Eu  já falei aqui sobre meus batons e esmaltes.

Compartilho algumas produções:
Fiz uma limpeza de pele 4 dias antes da 1ª quimioterapia, no centro estético aqui em Heidelberg. Foi a 2ª vez que fiz lá e tenho gostado do trabalho da esteticista. Na primeira vez, ela me perguntou se eu queria ser maqueada, eu preferir não. Na segunda vez, eu aceitei, e disse que queria algo discreto, o resultado foi esse dessa foto. Gostei muito. 




Essa outra foto, foi quando cheguei em casa, após o curso na Quimiolândia.
Gostei do resultado, minimalista, como sou!




Lá na Quimiolândia, onde fiz o curso, ganhei essa bolsa cheinha de produtos para maquiagem. Gostei, e agora pretendo usar mais!




4 de mai de 2012

Ontem foi dia de quimo baby!

Querid@s tod@s, andei bastante ocupada e sem tempo para a blogosfera, por isso dei uma pausa aqui.
Ontem tive minha terceira sessão de quimioterapia, e foi tudo bem.
É que eu tive problema durante o recebimento da quimo na primeira e segunda sessão, mas no final tudo deu certo. Dessa vez deu tudo certo do inicio ao fim.
Agora vamos cruzar os dedinho para continua assim, sem nenhum problema nos próximos 10 dias.
Aqui uma fotinha minha na Quimiolândia.
E na saída olhando as bicicletas e doida para sair pedalando por aí.
 Por falar nisso estou liberada para pedalar. Adoro!
Bom findi!