23 de jun de 2007

Maniçoba

Para preparar uma maniçoba, eu digo não uma qualquer, eu digo uma boa maniçoba, é preciso cozinhar as folhas da maniva por sete dias.

Para escrever um bom post sobre a maniçoba eu também precisava de sete dias, mas pressão tava graúda.

Hoje em dia a gente encontra nos supermercados a maniva pré-cozida, e dos sete dias necessários para cozinhar a folha, bastam três para o preparo desse prato tradicional da Região Norte, especificamente do Pará.

Eu sabia que não seria tão simples assim escrever sobre a maniçoba. Além de ficar com a boca cheia d'água só de pensar, isso ainda vem carregado de emoções, lembranças e saudades.

Eu digitei na busca virtual a palavra maniçoba, apareceram muitas coisas...mas prefiro falar do meu jeito, como lembro, do cheiro, da cor e do paladar.

Maniçoba não é um prato bonito (a cor é verde escuro, quase negro), quem vê pela primeira vez, pode até repudiar...mas se a pessoa se despir de preconceitos e aceitar uma prova, difícilmente resistirá a uma boa pratada de maniçoba, arroz e farinha. Sim eu como com farinha de mandioca!

Dizem que é a feijoada do norte. Pois todos os ingredientes são os mesmos da feijoada, mas no lugar do feijão, vai a folha de mandioca (maniva).

Quanto mais tempo a maniva for cozida, mais escura ela fica, e mais gostosa também.

Depois de dias cozinhando na lenha ou no gás com sal e folha de louro, é adicionada as carnes bovinas e suína, carnes secas, defumadas, bucho, etc...Tempera-se muito bem com cominho, pimenta do reino e a gosto da(o) cozinheira(o).

Para a maniçoba ficar no ponto é preciso paciência. Também não se pode esconder, o cheiro exala pela casa, varando o quintal, pulando o muro e avisando a vizinhança.

Quem faz maniçoba sempre faz muito, nada de miserê de fazer numa panelinha...Maniçoba é comida pra muita gente e pra muitos dias. Por isso, é preciso prepara-la em um panelão.

A maniçoba é um prato tradicional da cozinha paraense, muito comum ser vendida em barraquinhas de rua e é fundamental que em outubro, todo católico que se preze preprare esse prato no segundo domingo de outubro, após o Círio de Nazaré, padroeira de Belém, no Pará.

Mas aí é outra história e se o post ficar grande ninguém tem paciência de ler até o fim.


14 Comente aqui:

Elizabeth disse...

Terei de ir ao Pará somente para provar.
Me aguarde...
Beijos

Marcia H disse...

Tira o bucho (nheca) q eu adoro!
Na receita baiana nao vai bucho rsrsrs se duvidar tem gente colocando até camarao.
Aqui tem "maniva" congelada numa loja africana!
bjs

Andréa N. disse...

Wow, que lindo esse post, Ro! Super brasileiro! Você sabe que eu inventaria uma maniçoba vegetariana, mas adorei as dicas, as duas fotos e saber que, como eu, só de pensar e falar nessas coisas da nossa terra, você também sente juntar a água na boca com a saudade doída. E isso é tão difícil de explicar...
Beijão.

simone disse...

Oi amiga!

Voce ja sabe que sou vegetariana não é? Mas gostaria de conhecer essa tal maniçoba. Quem sabe eu conseguiria inventar uma forma nova de prepara-la a meu gosto.rsrsrs

Beijos!

Si

.:Carola }i{:. disse...

Hmm... só do jeito apaixonada que vc fala dessa maniçoba já me faz imaginar como deve ser gostosa (tô quase babando aqui no teclado :D ) yum-yum!

camille disse...

Ola Roseane,
Alem de ficar com uma imensa vontade de provar maniçoba( onde sera que tem -pronta-aqui em SP?)preciso dizer uma coisa que esta na ponta da minha lingua: voce escreve tao bem, sobre comida especialmente, que parece Carlos Drummond de Andrade numa boa prosa, por que ele nao fazia so poesia. É tamanha intimidade com esse oficio de cozinhar que voce tem, que vira poesia na prosa. Fiquei muito contente de ler sobre a maniçoba. Parece algo como pisar no chao de terra e sentir a vida como ela é. Muito bacana. E sensacional lembrar do outro post que seu marido preparou isso para ti ai na Alemanha. Boa semana poeta da alimentação!
Beijos,
Camille

Edelize disse...

Muito bem explicado. No sul, eu nunca vi folha de mandioca para vender, talvez por isto nunca tenha tido a oportunidade de provar este prato. O cozimento parece bem parecido com um prato comun no litoral do paraná, o barreado. Bem, a feijoada não é lá muito bonita aos olhas, mas deliciosa no paladar, então imagino que maniçoba seja assim também.

Obrigada por clarificar tão bem este prato típico, e tão pouco conhecido mais para o sul do Brasil. Beijos.

JotaCê Carranca disse...

Desconhecia por completo este prato: maniçoba - que até me custa dizê-lo.
Mas onde mesmo posso provar?
Um beijo

zany disse...

Ro, ontem lembrei muito de você. Fui ao aniversário de uma amiga e saboreei uma maniçoba daquelas adubada com tudo de bom. Até joguei um pouquinho pra trás das costas pensando em você. O post ficou lindo! Beijos!

Jannine L'Amour disse...

Eita que trabalho hein amiga!!! Olha espero que o São João por aí tenha sido ótimo ;). Um cheiro no coração.

Naluh disse...

A foto pode até ser para turista, mas manda essa maniçoba para cá que eu aceito ela assim mesmo!!!
Primeira vez visitando seu blog, vim através do Cissinha, e também sou paraense como ela.
Beijo e queijo.

Mi disse...

nunca tinha visto a tal da manicoba! mas realmente parece com uma feijoada mais consistente! =) e vc achou folha de mandioca por aqui na alemanha??? bjs!

Kiara Guedes disse...

Oi Roseane! Que bom que vc gostou dos instantes que passou por lá...rs. Vim agradecer a visita e amei o que encontrei, dei de cara com uma outra paculagem (todas nós somos por essas bandas daqui, ão é?) e maniçoba...oh coisa boa!! Voltarei mais vezes, adorei tuas oavulagens menina! Bjs

Rita Flexa disse...

Que saudade hem das nossas delicias daqui da nossa terra, não se preocupe agora toda vez que eu comer maniçoba lembrarei e comerei por vc. tbm.
bjs, RITA