24 de ago de 2013

Pavulagem é receber uma carta entre amigas

Não é porque ela me citou, mas esta moça escreve bem. Não crês? Então visite o blog Vida Vegetal ou Palavras de Papel
Foi de lá que eu copiei e colei o texto abaixo:


Carta entre amigas - Django, Tonto e Sombrinhas voando nas ruelas de Coimbra

Aqui,
o filme está em cartaz com o nome
Cavaleiro Solitário.
Eu gostei muito.

O Cavaleiro e Django
entrelaçam dois temas.
A origem da riqueza das nações
E o que lastreia o acontecimento cultural
chamado civilização.

Django e Tonto investem no impossível,
talvez para destituir a ingenuidade como
fundamento das narrativas históricas.
Uma receita nietzscheana:
Falar da vida e do humano sem pudor.

Em torno disto as emoções humanas.
As volições dos sentidos.
Em Cavaleiro Solitário são mais rizíveis.
Em Django, mais cruéis.
Em ambos, inacreditáveis.

Mas há o amor. Há Brunilde de várias formas.
A Lei, a Coragem, a Dignidade e a Ironia.

A LEI
Um herói acontecimento (de chapéu branco).
Fraco e medroso faz escolhas erradas o tempo todo,
mas seu cavalo branco é tudo de bom.  

A CORAGEM
Indígenas lutando contra um grande massacre
e bons em diagnóstico psicológico - Tonto trocou uma
mina de prata por um relógio de prata! Dia infeliz. Vida infeliz.

A DIGNIDADE
O amor de uma mulher disputado por três homens:
o Contra-Lei,  o Com a Lei e o da Vida - apenas um homem. Nada Mais.
Adivinhem quem levou a melhor?

A IRONIA
Tonto, um indígena com uma psiquê moderna
bem antes de Freud.
Culpa, chiste, sublimação
E persistência. Muita persistência.
Pense num homem moderno tenaz.
Chaplin. Tonto foi inspirado em Chaplin.
Ele não desiste nunca.

Gostei das imagens das Sombrinhas voando
no céu azul de ruelas entre casarios portugueses.
Estas não estão em Django ou Tonto,
estão em Pavulagem da Ro (nutriane.blogspot.com.br)
Visite. Você vai gostar.


O Cavaleiro Solitário de Gore Verbinski (2013) e Django Livre de Quentin Tarantino (2012).

1 Comente aqui:

Rosângela da Luz Matos disse...

Tô chique bem.
Muito bem citada.
Quem sabe viro cronista de verdade e passo a escrever uma coluna num jornal....
Quem sabe.
Já estou no teu blog.

Abs.