12 de jun de 2015

À Musa Ro



Namorante apaixonado
     manco entonteado
vejo estrelas
        no céu claro
sinto doce no amargo
        perco a fome
        ao teu lado

Rodopia a cabeça
jogo-me sem  medo algum
           ao espaço
mergulho em um imenso mar
           de rosas e amor,
            com cuidado misturados .





Fosse eu um impúbere
               jovem galante
diria estar descobrindo
          o amor,
          adolescente calor

Como não o sou,
decerto redescubro
     a mim mesmo
em teu regaço.
   
    
    

    Intenso, maduro
    enmolecadamente vivo
                 e   enamorado.

20/10/00
Flavio





7 Comente aqui:

Suely Linhares disse...

Minha amiga querida deve estar cheia de pavulagem e toda faceira com essa bela declaraçao de amor.
Um abraço Flavio
Suely Linhares

Edno disse...

Ao passar, rever e reler a pavulagem da Ro, sinto sua presença e me faz sentir muito bem, faz-me pensar também em seu companheiro, verdadeiro companheiro, que nos trás, com os seus sentimentos, o fogo da vida da vida vivida, com uma pessoa amada, muito amada.... Roseane presente....

Anunciação disse...

Sem palavras.Que belo poema de amor.

Anônimo disse...

Que linda poesia. Retrato do mais puro amor.

Anônimo disse...

Retrato do mais puro amor...

Marcos Santos disse...

Bonito Flavio. Parece chavão, mas é a pura verdade. O tempo transforma a dor da perda numa saudade gostosa. Um abraço.

Elaine Pasquim disse...

Um poema mais bonito que o outro!!!