22 de jun de 2013

O estado da arte do meu tratamento

Para quem me visita a 1ª vez, saiba que estou em tratamento contra o câncer de ovário.
Descobri o câncer de ovário por meio de uma cirurgia em fevereiro do ano passado. Antes da cirurgia fui a médica para uma consulta de rotina, e daí começou tudo. Já escrevi isto aqui.

Depois da 1ª cirurgia fiz três sessões de quimioterapia. Aí fiz uma 2ª cirurgia, e mais 3 sessões de quimo.
Eu pensei que tinha acabado, mas a equipe médica me prescreveu um tratamento a base de anticorpos chamado avastin (escrevi sobre isso aqui).

O avastin, assim como a quimo, é uma infusão na veia. O tratamento é longo, são 15 meses, que somando dá umas 21 ou 22 sessões, pois eu recebo o avastin a cada três semanas.
A vantagem do avastin é que ele não tem os efeitos ruins da quimo, e a infusão dura 30 minutos, no caso da quimo durava 4-5 horas.

Em abril, nós, eu, o marido, a família e amig@s, tomamos um susto (falei disso aqui). Apareceu um cisto na região pélvica, e e a equipe médica teve que suspender o avastin prevendo uma cirurgia. Depois de vários exames, o resultado foi que o cisto não precisa ser retirado agora e não é maligno, ufa!

Na minha 1ª sessão de avastin, após este susto, eu sofri muito. Minhas veias já não suportavam mais a infusão e coleta de sangue para exames. Fui furada oito vezes, 5 no antebraço, 1 no pulso e 2 nas mãos.
Foi horrível.
Após esse tormento todo, decidi colocar o um catéter.

Fiz uma pequena cirurgia para a inserção do catéter no lado esquerdo, próximo ao ombro. 
Fiquei 3 dias sem usar o computador, e depois de 10 dias já estava tudo normal e agora quase1 mês depois, está praticamente cicatrizado.

Já tive minha sessão de avastin e coleta de sangue pelo catéter, e foi tudo bem.
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente
 E assim eu vou.

3 Comente aqui:

Elaine Santista disse...

Roseane,

Faz tempo que não passava por aqui, mas o que desejo é que você não perca a fé nunca, quando a perdemos mesmo tendo uma saúde plena, de nada vale a vida, beijos no coração e fica com Deus.

Elaine

Allan Robert P. J. disse...

O importante é seguir em frente e procurar o que a vida nos dá de melhor. Admiro a sua determinação e o modo como enfrenta o problema com naturalidade.

Beijoca
:)

Camille disse...

Que linda, fortona e sensivel. É isso, tocando em frente. Que ainda muita vida para viver.Bjao Roseane.