28 de jun de 2015

Re/COMEÇO

  
        
          Escancarei o peito,
            Abri as porteiras, 
     Desnudei-me perante a ti
                Face ao mundo,
        Coloquei minhas entranhas na mesa
                Expostas , estranhas, sem jeito.
           Sinto-me desprotegido,
                                                Com medo.        
                           


Minhas partes, tantas partes,
      Algumas com muita cor,
                Outras tão embaçadas,
          Até mesmo feias,
    São todas eu,
Comigo vibram, comigo sofrem
     As vezes se descabelam,
                                Em desespero.





Querida amiga,
     Manuseie com cuidado,
                Com muito carinho,
      Pois sou tenro e terno
         Um bocado frágil,
               Mesmo que não pareça.





Cada parte tem seu lado,
   Algumas redondas, outras quadradas,
           Mas todas muito sensíveis
               Ao toque, ao remelexo.









Se quiseres me amar,
     Como eu sou,
      E que eu continue aberto e transparente,
Sempre que entrar,
        Pise de leve, fale baixinho
                Acaricie meu centro,
                Aqueça-me com carinho,
E aceite-me complexo,
Cheio de amor, de sonhos e de medos.


É isso que eu sou,
                Que eu posso,
                                Que eu tenho,
   Para partilhar contigo,
                                Meu amor.
                     Buscando no mundo,
                   Um recomeço.

                                                                                                Flavio 







            

4 Comente aqui:

Creuza Miranda disse...

Recomeçar nem sempre é fácil, mais nada,nessa vida é fácil, tudo tem o seu curso,seu tempo,mesmo pra quem não aceita recomeçar,pra quem aceita é um boa boa decisão.

Rosivone disse...

"Viver é um rasgar-se e um remendar-se" - Guimarães Rosa

Elaine Pasquim disse...

Flávio, você merece toda felicidade! Que seu coração te guie! Bjs

sandra torres disse...

Amor para muitas vidas