9 de out de 2014

Belém, Círio de Nazaré, e Leila Pinheiro na Quimiolândia

Há muito que aqui no meu peito 
Murmuram saudades azuis do teu céu 
Respingos de orvalho me acordam 
Luando telhados que a chuva cantou 
Mas o que é que tens feito 
Que estás tão faceira 
Mais jovem que os jovens irmãos que deixei 
Mais sábia que toda a ciência da terra 
Mais bela, mais dona, do amor que te dei

Onde anda meu povo, meu rio, meu peixe 
Meu sol, minha rede, meu tamba-tajá 
A sesta, o sossego na tarde descalça 
O sono suado do amor que se dá 
E o orvalho invisível na flor se embrulhando 
Com medo das asas do galo cantando 
Um novo dia vai anunciando 
Mandando e cantando cantigas de lá

Vós sois o lírio mimoso 
Do mais suave perfume 
Que ao lado do santo esposo 
A castidade resume 
Oh, Virgem Mãe amorosa 
Fonte de amor e de fé 
Dai-nos a benção bondosa 
Senhora de Nazaré 
Dai-nos a benção bondosa 
Senhora de Nazaré

Se em vossos lábios divinos 
Um doce riso desponta 
Nos esplendores dos hinos 
Nossa alma aos céus se remonta 
Oh, Virgem Mãe amorosa 
Fonte de amor e de fé 
Dai-nos a benção bondosa 
Senhora de Nazaré 
Dai-nos a benção bondosa 
Senhora de Nazaré

Sem círio da Virgem 
Sem cheiro cheiroso 
Sem a chuva das duas que não pode faltar 
Murmuro saudades de noite abanando 
Teu leque de estrelas 
Belém do Pará

2 Comente aqui:

Unknown disse...

Amiga mesmo longe voce lembrando e celebrando nossa magnifica festa de N.Sa.de Nazare padroeira dos paraenses Na terça feira na abertura da semana do Cirio recebemos da Unesco o titulo de Patrimonio Cultural Imaterial da Humanidade
Comemore com mingau da tapioca e doce de cupuaçu com farinha...rsrrs mais tipico impossivel
Que N.Sa. nos abençoe com muita saúde e paz....
Bjsss

Camille disse...

Lindo post. Gostaria de assistir o Cirio de Narazé. Quem sabe um dia...
Bjoss,
Cam