9 de mai de 2010

Propaganda, maternidade e o dia das mães

Eu to super ocupada. Tenho que fazer um trabalho sobre propagandas de alimentos. Preciso ler muito, pesquisar e selecionar, por isso tive que dar um tempo daqui.
Mas hoje não me contive, pois durante uma das minhas pesquisas na internet sobre propagandas brasileiras de alimentos, encontrei a propaganda das lojas renner para homenagear o dia das mães.
E eu li por aí a opinião de algumas pessoas falando sobre essa propaganda. Eu tenho uma interpretação do comercial que talvez seja diferente e por isso e vou compartilhar aqui.
Para quem näo viu, vou tentar descrever, com observacoes minhas entre parênteses.
Uma mulher está no consultório de um especialista (me pareceu de fertilizacao in vitro), indo buscar o resultado do exame.
A mulher estava sozinha (então me pareceu, produção independente).
No consultório, enquanto o especialista abre o envelope para  ler o resultado, a mulher começa a se ver no parto gerando um menino e no decorrer do imaginário dela, ela acompanha o crescimento e desenvolvimento do filho, no qual ela está sempre presente na vida dele (momentos emocionantes). Inclusive quando ela está tirando uma sonequinha na grama e o filho e os amiguinhos gritam no ouvido dela. E ela acorda sorrindo feliz da vida.
Depois aparecem outras imagens do filho grandinho.
E uma voz fala que este é comercial é em homenagem a todas as mulheres que realizaram o sonho de ser mãe. Aí aparece o especialista que acaba com o sonho (de consumo dela) e diz que ainda não será dessa vez (deu peninha dela).
Mas ela responde que não vai desistir (bravo!!! Näo devemos desistir dos nossos sonhos)
A voz masculina fala novamente que a homenagem é para todas as mulheres que continuam sonhando em serem mães.
Acaba o comercial.

Falar sobre maternidade no dia das mães é bastante sensível, o mundo está a flor da pele. Só espero que não me interpretem mal.
Eu não sou contra o sonho de ser mãe, produção independente e nem fertilização de laboratório, afinal a tecnologia está a serviço da humanidade e com dinheiro pode-se realizar todos os sonhos (de consumo), desde o da maternidade até o de comprar umas roupinhas na loja, que eu espero não sejam provenientes de trabalho escravo.

Este comercial que emocionou muita gente, pode render muito pano para manga, depende do olhar de cada pessoa.
Alguns exemplos que eu penso que geram uma outra percepção são: adoção, fetilização, maternidade independente, pressão da sociedade para que a mulher seja mäe e assuma a responsabilidade pelos cuidados com filhas e filhos.
Também deve ter outros insights que não me ocorreram no momento.
Alguém no Brasil viu essa propaganda? Qual foi a sua percepção?
E para quem não viu...




Feliz dia das mães para todas as pessoas que passam por aqui e são mães e mãedrastas como eu.

7 Comente aqui:

disse...

Olá minha querida Ro,

eu concordo com suas palavras não sou contra, mas colocar a maternidade como consumo, acho um pouco demais.
Não vi esse comercial ainda, estou vendo aqui.
Minha linda saudades de ti. Mas estudar é preciso e você vai atingir seus sonhos e emtas.
Que Deus te abençoe um grande e carinhoso beijo!

Ivana disse...

Oi Rô!
Eu vi este comercial e sabes que eu nem havia percebido que poderia tratatar-se de uma notícia de possível gravidez advinda de uma fertilização.
Sinceramente, acho que se a mulher quer e pode pagar pelo tratamento, por que não?
Eu me emocionei quando vi o comercial pela primeira vez, porque me encontro entre aquelas que querem, mas que não conseguiram e que não pode pagar para realizar este sonho...
Achei válida a mensagem do comercial.
Beijo.

Celia disse...

Sabe Ro, eu me vi nesse comercial. Foi assim mesmo que ocorreu comigo. "Ainda nao é dessa vez", foram as palavras mais triste que eu ouvi. Porem atraves da adocao, consegui me realizar e hoje sou uma mae super feliz.
Boa semana. Bj

milton toshiba disse...

Eu vi e achei genial Roseane. Simples e direta.

Um ótimo domingo para vocês

bj

Camille disse...

Eu vi e gostei amiga. Diferente do de sempre. Essa expectativa é real para a maioria das mulheres e como eu vivo dizendo por ai, propaganda nao e vanguarda, é reflexo do que as pessoas pensam e sentem por ai.
Beijos querida, e boa semana!
Cam

http://graceolsson.com/blog disse...

EU VI E ADOREI.
Eu, Roseane, tentei 8 vezes para ter meus filhos. 8 abortos dolorosos.Mas,eu faria tudod e novo.E se nao pudesse tê-los, adotaria.
Tentei adotar um, nao deu certo, morri um pouco.
E, vou ser sicnera contigo: TODO AMOR QUE TIVE, ME DEU VOTNADE DE GERAR UM FILHO. ERA ALGO VISCERAL. E EU GOSTARIA DE TER GERADO MAIS.
O COMERCIAL É LINDO. E UMA MENSAGEM EXPLICITA, COMO CELIA FALOU: NAO DEVEMOS DESISTIR

Acho que a intencao da loja nao foi essa, a de mostrar a gravidez como consumo.isso fica pro cotna de cada um. E eu prefiro ficar com a ideia linda que é SER MAE.
Bjs e dias felizes

Fernanda disse...

Rô, este ano, a minha homenagem para o dia das mães, foi às mulheres que conscientemente escolhem não serem mães, por diversas razões. Essas merecem-me um enorme respeito pela coerência, ao contrario daquelas que têm filhos e já ficam em pânico com as férias da escola, por exemplo.
A maternidade deve ser uma opção, não imposição da sociedade.

Bjosssss