6 de mar de 2009

A vida mais independente por aqui

Hoje quando estava caminhando em direção a parada do bondinho, passei por um posto de gasolina e vi um rapaz colocando gasolina no carro e lavando o pára-brisa.
Fiquei pensando com meus botões, como a vida aqui é mais independente de alguns serviços, como por exemplo o bombeiro do posto de gasolina.

Aqui a própria pessoa é quem coloca gasolina. No Brasil, tem bombeiros pra isso. Lá em Brasília eles sempre me perguntavam se eu queria que eles jogassem uma água com sabão no pára-brisa e checassem o óleo.

Eu já escutei uma pessoa me dizer que só anda de bicicleta para não ficar dependente de bonde.
E olha que o bonde anda 98% no horário, isto é não atrasa.

Eu conheço outra pessoa, uma mulher, que passa a máquina no cabelo, uma vez por ano, para não ser dependente de cabelereir@s.

Jovens aqui, deixam a casa dos pais cedo, com 16 ou 18 anos. El@s querem ser independentes dos pais, por isso vão morar em república, na maioria das vezes.

Nomes femininos que eu ainda acho diferente ou estranho:
Petra
Ricarda
Friederike
Juta

Tudo isso são apenas algumas observações minhas, não é regra geral.

Bom findi!!!

0 Comente aqui: