5 de nov de 2007

(Re) nascimento













Há 9 meses eu e meu marido saímos do Brasil, atravessamos o oceano e viemos parar aqui em terras germânicas.

Para quem ainda não sabe como isso aconteceu, eu vou resumir.
A gente morava em Brasília e meu marido foi selecionado para trabalhar em uma ONG (Organização Não Governamental) com sede em Heidelberg.
Nós avaliamos os prós e contras (e eu ainda contei com ajuda de blogueiras que moravam na Alemanha), decidimos arriscar tudo e cá estamos junto com meu enteado que chegou depois.

9 meses é o tempo que uma criança precisa para se desenvolver na barriga da mãe e depois deixar a segurança e o calorzinho para entrar nesse mundão? ou será nesse mundo pequeno?

Nesse período, o mais difícil tem sido a língua. Eu nunca tive exposição a língua alemã, com exceção dos raros filmes originais com legenda em português e os livros sobre a II guerra, escrito em português, mas com 0,0001% de alguma palavra alemã (por exemplo Frau, Herr, eh eh eh).

Durante esse tempo, ou essa gravidez, os meses passaram voando, apesar de não ter sido fácil, não houve sintomas de aborto.

Agora que nascemos, começamos a sorrir, a chorar muitas vezes, mas também já entendemos algumas palavras e já balbuciamos outras. Sentimos saudades de pessoas, de comida, de lugares, mas vamos nos acostumando ao novo.

Acho que agora vamos começar a engatinhar na língua alemã, pois não é fácil ficar de pé e sair falando por aí. Será um passinho de cada vez.

E ainda tenho fé e esperanças que um dia conseguiremos ler, escutar e falar em alemão e seremos ainda mais felizes nesse mundão ou nesse mundo pequeno.

0 Comente aqui: